Claro vai dar internet de graça em troca de publicidade


Business image created by Creativeart - Freepik.com

Business image created by Creativeart – Freepik.comA Claro entrou no mercado de data rewards. A partir de segunda-feira, 15 de abril, clientes pré-pagos da operadora poderão navegar de graça na internet pelo smartphone. Para isso, terão de interagir com algum conteúdo publicitário exibido no aparelho. Desde o começo do mês a opção aparece para alguns clientes, como teste da fase de “soft launch”.

Para obter a franquia adicional, que será de 10 a 20 MB, o usuário deverá ir à página de recargas da Claro (ou usar o app da operadora) e pedir para efetuar uma recarga. Na hora de escolher a formafde pagamento, haverá a opção de ver publicidade. Após o vídeo ou interação, o usuário deverá responder a uma pergunta, para então liberar o crédito na franquia de dados. “Dessa forma garantimos que o anúncio teve a atenção do cliente”, explica Carlos Araújo, diretor de novos negócios da Claro Brasil.

Será possível fazer este procedimento até cinco vezes por dia. Ou seja, o usuário conseguirá entre 50 e 100 MB diários para navegar de graça com um chip pré da Claro.

Com o lançamento, a Claro se torna a segunda operadora a entrar nesse mercado, já explorado pela Vivo desde 2016. E a expectativa dentro da operadora é de que haja espaço para todo mundo. A Claro tem 32 milhões de clientes pré-pagos, assim como a Vivo.

“O anunciante quer chegar ao maior número possível de clientes. Provavelmente ele vai buscar ambas as soluções. Nesse negócio não somos concorrentes das outras operadoras, na verdade, é interessante que todas tenham modelo de negócio similar para atrair mais anunciantes”, diz Araújo.

O executivo conta que o modelo de negócio da Claro prevê acordo com um parceiro responsável por revender o espaço publicitário. Os anunciantes não terão acesso a dados dos clientes, mas serão capazes de segmentar o conteúdo por DDD, gênero e idade.

Exemplo de anúncio em vídeo no programa de franquia gratuita da Claro

 

Mercado grande

A empresa vem trabalhando nisso há pelo menos dois anos, de olho em uma fonte adicional de receita. “O mercado de publicidade digital no Brasil movimenta R$ 15 bilhões, e é aí que vamos entrar. Passamos os últimos 24 meses trabalhando com foco na criação dessa plataforma para nos tornarmos um player relevante e para permitir que os anunciantes consigam falar com clientes de forma customizada”, conta ele.

O produto complementa o WiFi Rewards, programa lançado pela Claro e pela Net ano passado, que libera o acesso ao WiFi público das empresas em hotspots espaespalh pelo país após o usuário interagir com alguma publicidade no celular, tablet ou computador.

E como o usuário precisa responder a alguma enquete antes de receber os créditos, há ainda a possibilidade de entrar no mercado de pesquisas. “Estamos planejando a melhor maneira de atender também institutos de pesquisa, pois é uma forma rápida de acessar as pessoas e obter respostas relevantes delas”, acrescenta o executivo.

Embora o serviço comece a operar em massa na próxima semana, a Claro deve lançá-lo oficialmente e intensificar o marketing em torno do produto no final do mês. Ele explica que a empresa levou dois anos para entrar no segmento por conta do desenvolvimento, que diz ter sido todo feito internamente, e também em função da maturação do mercado.

“Agora o mercado efetivamente está mais mmaduro. Estamos entrando em um momento com anunciantes já entendendo que a publicidade no celular tem diferenciais significativos. O mais difícil para qualquer publicidade é engajar a audiência, e neste caso, isso é garantido”, ressalta.

Anterior Oposição vai apresentar projeto para revogar decreto que extinguiu colegiados
Próximos Fibra deve se tornar principal tecnologia de banda larga fixa no país em 2020