Em testes de campo, conexão móvel da Claro atinge velocidade de 652 Mbps


A Claro afirma que, juntamente com a Ericsson e a Qualcomm Technologies, conseguiu atingir velocidade média de conexão móvel de 652 Mbps em testes de campo em 4,5G. Para a façanha, que clama ser a maior velocidade obtida em uma rede comercial na América Latina, agregou portadoras de 2.600 e 1.800MHz. O projeto piloto, que aconteceu em Araras, no interior de São Paulo.

Nos testes realizados em Rio Verde, em dezembro do ano passado, foram agregadas além das frequências de 2.600 e 1.800MHz, a de 700MHz. Na ocasião, cada faixa possuía apenas uma banda liberada. Em Araras, local escolhido para o projeto, a faixa de 2.600MHz já opera com duas bandas liberadas, ampliando a capacidade da frequência utilizada.

“Este trabalho teve início há meses atrás, com os testes de Rio Verde, onde atingimos velocidade de 300 Mbps em nossa rede. Agora, estamos mais que duplicando este resultado, mesmo sem a liberação da faixa de 700 MHz, ainda em andamento”, afirma André Sarcinelli, diretor de engenharia da Claro.

Além das frequências agregadas, foram realizadas melhorias de software para as redes LTE disponíveis hoje. As características combinadas incluem a utilização das tecnologias 4X4 MIMO, que dobra a capacidade de transferência de dados transmitidos para o smartphone do usuário, permitindo assim maior capacidade e taxa de transferência de dados; e LTE 256 QAM, que amplia a modulação no espectro disponível e melhora a eficiência da rede multiplicando a taxa de transferência por 1,33 para os terminais móveis. O piloto utilizou um terminal de testes com o modem Qualcomm Snapdragon X16 LTE.

Este tipo de arquitetura e de capacidade de transmissão no acesso de radiofrequência demandará ainda mais capilaridade óptica para fazer o backhaul. A empresa se diz preparada para esta demanda, graças à complementaridade das redes de Claro, Net e Embratel.

Anterior Venda de óculos de realidade virtual do Google começa na próxima semana, lá fora
Próximos Vivo quer 30% dos atendimentos feitos por sistema automatizado no Facebook