Claro diz que roaming permanente é ruim mesmo sem diferença de imposto


Infographic vector created by Freepik
Infographic vector created by Freepik

O diretor executivo  de Assuntos Regulatórios da Claro Brasil, Oscar Petersen,  é contrário à liberação do roaming permanente no país, mesmo que o MCTIC consiga criar a moratória tributária e a Internet das Coisas deixe de ser tributada por uma década. A norte-americana AT&T, controladora da SKY, é uma das empresas estrangeiras que reivindica a liberação desse serviço.

Para Petersen,  o roaming internacional permanente é uma “aberração completa.” “Essa proposta é muito ruim para o país, pois, ao invés de fortalecer as empresas que investem no Brasil, vai permitir que uma empresa sem sede aqui passe a  ofertar o serviço de telecomunicações ao mercado brasileiro, mas a receita vai ficar  lá fora”, alertou o executivo.

No seu entender, o melhor seria que as empresas interessadas em prestar o serviço de IoT instalem-se no país, ou ampliem a sua participação aqui. “Que elas venham para cá competir no mercado, investindo no Brasil”,  defendeu.

Anterior Ericsson alerta que software já sofre bitributação
Próximos E-commerce: preço de celulares caiu quase 12% no último ano