China Mobile deverá lançar 3G chinesa em abril


A China Mobile, maior operadora móvel da China, lançará em abril um piloto comercial do padrão TD-SCDMA, a terceira geração da telefonia celular (3G) desenvolvida exclusivamente na China. A empresa construiu redes-teste do padrão TD-SCDMA em oito cidades, incluindo a capital do país, Pequim, de acordo com relatório da Dow Jones, citando o presidente da …

A China Mobile, maior operadora móvel da China, lançará em abril um piloto comercial do padrão TD-SCDMA, a terceira geração da telefonia celular (3G) desenvolvida exclusivamente na China. A empresa construiu redes-teste do padrão TD-SCDMA em oito cidades, incluindo a capital do país, Pequim, de acordo com relatório da Dow Jones, citando o presidente da companhia, Wang Jianzhou. Ele afirma que já foram feitos os pedidos de celulares e equipamentos do padrão chinês para seis fabricantes, incluindo a Lenovo, ZTE, Hisense Eletric, LG Eletronics, Samsung Eletronics e  Guangzhou New Postcom. Jianzhou também disse que a empresa já comprou data cards da ZTE e Datacom Telecom.

O governo chinês vem adiando a liberação das licenças de 3G, em parte devido aos seus planos de reformar toda a indústria de telecom do país, criando três super-teles. Notícias recentes apontam para que o anúncio da liberação das licenças e operações comerciais deverá ser feito em breve, principalmente porque o governo havia dito que o padrão de 3G estaria pronto e operante já nos Jogos Olímpicos de Pequim, que acontecerão na capital chinesa no meio deste ano.

Reforma no sistema

As outorgas, no entanto, parecem estar atreladas à vontade do governo chinês de reformar a indústria nacional de telecom, com planos de fundir a China Mobile com a China Tieton, a terceira maior operadora fixa do país, além de unir a China Telecom com a unidade CDMA da China Unicom, que teria sua divisão de GSM fundida à China Netcom. Com este movimento o governo quer dar às operadoras fixas um braço na operação móvel 3G. Com ativos CDMA e GSM respectivamente, a China Telecom e a China Netcom estarão em uma melhor posição para competir com a China Mobile, e desenvolver uma estratégia de migração do 2G para a 3G e 3,5G, assim que as licenças de 3G forem emitidas. (Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior Exportadores temem que greve da Receita seja longa
Próximos Toshiba perde € 353 milhões na guerra de formatos de alta definição