China desenvolve chip para concorrer com o Pentium IV


Sempre decidido a assegurar a sua independência tecnológica, o país vai começar, breve, a produzir um processador concorrente com o da Intel – o Godson-2E, ou Longxin-2E, em chinês. Segundo seus desenvolvedores, o chip made in China igualará o Pentium IV em desempenho, por um custo menor de fabricação. Capaz de processar 4 bilhões de …

Sempre decidido a assegurar a sua independência tecnológica, o país vai começar, breve, a produzir um processador concorrente com o da Intel – o Godson-2E, ou Longxin-2E, em chinês. Segundo seus desenvolvedores, o chip made in China igualará o Pentium IV em desempenho, por um custo menor de fabricação. Capaz de processar 4 bilhões de flops (operações de pontos flutuantes por segundo), esse processador chinês de 64 bits, cujo projeto foi validado no mês passado, reúne 47 milhões de transistores em uma minúscula placa. Na opinião de analistas, a China quer dispor de suas próprias tecnologias e ser um ator de peso nesse domínio, da mesma estatura de um Japão ou Coréia do Sul.

Financiado pelo governo, através da Academia de Ciências chinesa, o desenvolvimento do Godson-2E tem o objetivo de oferecer uma alternativa à dominação da Intel e da Texas Instrument, que tinham 80% do mercado do país no ano passado. Nesse sentido, o Estado não hesita em subvencionar, via financiamentos diretos, ou isenção de impostos, o desenvolvimento de uma indústria local de semicondutores. Segundo o China Daily, o Godson-2E permitirá à China produzir computadores competitivos, o que será viabilizado pela United Microelectronics, empresa de Taiwan.

Autosuficiência

Os analistas lembram que não é a primeira vez que a China demonstra a determinação de se equiparar ao mundo ocidental no domínio das novas tecnologias. Ainda em 2003, o país adotou formato alternativo próprio de DVD, o EVD (Enhanced Versatile Disc), graças ao qual conseguiu economizar € 2 bilhões por ano em licenças do MPEG-2, modo de compressão utilizado nos DVD-padrão. Pelo mesmo motivo, ou seja, depender cada vez menos de licenças estrangeiras, o país desenvolveu um formato de compressão concorrente do MPEG-4, o AVS.

E, símbolo político dessa determinação foi decisão tomada em agosto último: todos os ministérios foram proibidos de usar computadores que não fossem de fabricação chinesa, como a suite WPS Office 2003.

(Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior Novas tecnologias levam o Chile a mudar regulamentação de telecom
Próximos Anatel faz novas mudanças no regulamento de bens reversíveis