Chegada do 3G e 4G aumentou renda mensal de pescadores na Colômbia


Um iniciativa sem fins lucrativos tocada por um conjunto de empresas e ONGs na Colômbia conseguiu elevar a renda média de famílias de pescadores em uma comunidade do Norte do país. Batizada de Pescando com Redes Móveis, a ação levou conectividade móvel às comunidades e capacitou os moradores a usar dispositivos conectados a redes 3G e 4G para melhorar o desempenho profissional.

A Qualcomm, o Centro de Investigação de Telecomunicações (CINTEL), ONG que promove o desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação (TIC) na América Latina, a Fundação Telefónica Colômbia e a USAID (agência dos Estados Unidos para o desenvolvimento internacional), encamparam a iniciativa, feita em La Boquilla, em Cartagena de Indias. Divulgaram hoje, 8, o resultado.

Segundo as empresas, as famílias tiveram um ganho de rendimento mensal, que antes era de US$ 74, de cerca de US$ 25. O resultado foi possível, segundo a Qualcomm, porque as capacitações promovidas pelo projeto permitiram aos pescadores criarem empresas de piscicultura, reduzindo o impacto ambiental do excesso de pesca, e aos jovens aprenderem a usar a tecnologia no dia a dia profissional.

Devido ao sucesso do projeto em La Boquilla em 2013, o Pescando com Redes Móveis foi expandido para as comunidades de pesca tradicional San Andres de Tumaco (Tumaco), em 2014, e à Ilha de Providência em 2015.

A Qualcomm também apoiou o Pescando com Redes 3G no Brasil, projeto lançado em 2010 para promover o desenvolvimento econômico e social de Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia, por meio da inclusão digital e social de pescadores e mariculturistas (produtores de ostras). A principal diferença entre os projetos é que, na Colômbia, os participantes usaram conexões LTE 3G ou 4G conectando tablets e smartphones munidos de aplicações personalizadas para a pesca artesanal e piscicultura. Lá, os pescadores também receberam aulas de educação ambiental e pesca sustentável. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Oi integra novo índice de responsabilidade social
Próximos Prates: a importância do espectro para a sociedade