Certificação de software será debatida em audiências públicas


O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) promoverá duas audiências públicas para receber contribuições de empresas desenvolvedoras de software à Metodologia de Avaliação Certics. A primeira acontecerá dia 15 deste mês, no auditório do prédio-sede do MCTI, em Brasília, a segunda será realizada, no mesmo horário da primeira (14h às 17h), no auditório do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), em Campinas (SP).

A Certics foi lançado em 20 de agosto, juntamente com o Plano TI Maior, pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp. Após o lançamento, a metodologia foi colocada em consulta pública, pela qual serão recebidas contribuições da sociedade a respeito da metodologia de certificação. O prazo para consulta pública termina em 28 de outubro.

O objetivo das audiências é estabelecer critérios para a comprovação, junto ao MCTI, do resultado efetivo do desenvolvimento de uma tecnologia de software no país. Além de voluntária, a adesão ao Certics serve de instrumento às empresas que buscam qualificação para preferência em compras públicas e diferenciação no mercado.

O MCTI emite a certificação por meio da Secretaria de Política da Informática (Sepin). Já a avaliação para a obtenção da certificação é realizada pelo Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI/MCTI).

Integrante do Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI Maior), a Certics é um instrumento que identifica, credencia e diferencia software e seus serviços associados, com o objetivo de gerar valor local e competitividade global para o Brasil.

Conceito

O conceito da Certics foi desenvolvido por uma equipe técnica multidisciplinar – formada por engenheiros de software, economistas, especialistas em políticas públicas, especialistas em melhoria de processo de software, consultores jurídicos, entre outros – que deu origem a uma metodologia inovadora, projetada com base em métodos internacionais e desenvolvida de forma colaborativa em conjunto com a iniciativa privada, compradores públicos, especialistas e acadêmicos do setor.

O acesso à Metodologia de que trata a audiência está disponível no site do CTI Renato Archer.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Brasil mantém política industrial para 4G, afirma Paulo Bernardo
Próximos Frost & Sullivan amplia atuação no país em TICs