CEO da Qualcomm afirma que parceria com China não é afetada pelo rompimento com a Huawei


Brasilia, 21 de maio de 2019 – Telebrasil 2019 – Foto: Saulo Cruz / Themapress

O presidente global da Qualcomm,Cristiano Amon, afirmou hoje, 21, que a parceria com a China não mudou devido ao decreto do presidente Donald Trump, que fez com que a empresa deixasse de fornecer seus chips para a fabricante chinesa Huawei. ” Não foi a Qualcomm que cortou o fornecimento, mas, assim como as demais empresas, a Qualcomm tem que obedecer ao decreto presidencial”, explicou o executivo.

Segundo ele, o impacto dessa medida para as receitas da empresa que comanda será pequeno, já que a Huawei não é o seu maior comprador. Ele ressaltou que a parceria com as demais empresas chinesas permanece. “Nossa parceria com a China não é afetada com relação . Fornecedores como  Xaomi, ZTE,  Vivo e Lenovo continuam a adquirir os nossos produtos”,  afirmou.

Produção Nacional 

Amon salientou que a produção no Brasil dos chips Snapdragon começou a deslanchar este ano, com o lançamento de dois celulares da Asus em março, mas a expectativa é de que novos fabricantes se engajem em breve na fabricação local do celular.

Segundo Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm para a América Latina, o chip para IoT, que também será fabricado no Brasil, deverá também contar com os primeiros fabricantes locais ainda este ano.

” O projeto ainda está na infância. Outros fabricantes deverão adotar a tecnologia  E o chip para Iot é muito importante para diminuir barreira de entrada e poderá colocar o Brasil na cadeia de valor  global”, completou Amon.

 

 

Anterior El Salvador impede América Móvil de comprar subsidiária da Telefónica
Próximos Porto Alegre quer trocar rede de fibra por serviços

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *