Células pequenas serão 90% das estações móveis em 2016



Barcelona – As pequenas células – sejam elas femtocell, picocell, microcell ou metrocell- irão ocupar rapidamente as redes de telecomunicações nos próximos anos, pulando de 3,2 milhões de unidades a serem comercializadas este ano, para 62,4 milhões em 2016. Esta é a previsão da empresa britânica de consultoria Informa Telecoms & Media, em estudo lançado durante o Mobile World Congress 2012.

 

A aposta é que a femtocell, estação radiobase doméstica e para pequenos escritórios, seja o equipamento com maior crescimento em todo o mundo, passando de 2,5 milhões de unidades este ano para 59 milhões em 2016.

 

No Brasil, no entanto, esta equipamento ainda não foi licenciado pela Anatel, visto que há um problema tributário a ser resolvido. Há setores da agência que entendem que estas estações são um outro aparelho de celular, o que significaria pagamento de Fistel para cada produto deste instalado a exemplo do que se recolhe para cada celular comercializado.

 

Hoje, as operadoras recolhem no Brasil R$ 26,83 para cada celular habilitado e outros R$ 13,42 todos os anos para cada aparelho em serviço.

 

Conforme as previsões da consultoria, crescimento das femtocells em todo o mundo será de 2400% em quatro anos, enquanto as picocells (células para grandes corporações e áreas públicas) crescerão 38%. As metrocells e microcells, para áreas públicas, terão crescimento de 480%.

 

Diferentes operadoras europeias já instalam em suas redes essas pequenas células e os fabricantes como Alcatel-Lucent e Nokia Siemens Network anunciaram, durante Moble World Congress, a incoroporação do WiFi em seus produtos.

 

A jornalista viaja a convite da Alcatel-Lucent.

Anterior PricewaterhouseCoopers é a entidade aferidora da qualidade da banda larga
Próximos Comissão Europeia ataca política industrial brasileira, mas governo não vai recuar, avisa Paulo Bernardo.