Celulares ainda discutem como cobrar banda larga pré-paga


Em um mercado em que 81% dos clientes de telefonia móvel utilizam o sistema pré-pago, Jacques Benain, gerente de soluções da Claro, aposta na boa aceitação desta modalidade na banda larga entre os consumidores brasileiros. A idéia de disponibilizar o sistema ronda os planos das operadoras, inclusive da Claro, que segundo Benain, já poderia ter …

Em um mercado em que 81% dos clientes de telefonia móvel utilizam o sistema pré-pago, Jacques Benain, gerente de soluções da Claro, aposta na boa aceitação desta modalidade na banda larga entre os consumidores brasileiros. A idéia de disponibilizar o sistema ronda os planos das operadoras, inclusive da Claro, que segundo Benain, já poderia ter colocado a oferta no mercado, mas a discussão ainda se concentra em qual o modelo de negócios mais adeaquado para a cobrança do serviço: pelo tempo de navegação ou pelo tráfego de dados.

Segundo o executivo, que participou do 2º Mobile Broadband Brazil, realizado hoje em São Paulo, a Claro ainda não tem a definição de como fará a cobrança da banda larga pré-paga. “A cobrança por tráfego é mais fácil para as operadoras”, compara Benain, já que a opção pelo tempo de navegação poderia atrair clientes que costumem fazer trocas de arquivos mais pesados, sobrecarregando a rede.

Outra questão levantada pelo gerente da Claro é sobre “quem vai pagar o modem” em uma situação em que a utilização do serviço é eventual. Para Benain, com o aumento da  produção em escala do modem, os custos devem cair, assim como há uma tendência de que os laptops sejam vendidos com o equipamento embutido, ainda que, num primeiro momento, em modelos mais sofisticados.

Anterior Debates sobre PGO no Congresso são adiados
Próximos Qualcomm anuncia alternativa ao PC para conexão à internet