Ceitec apresenta chip para aplicações em logística


A Ceitec, empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) lançou nesta sexta-feira (4) o circuito integrado CTC13001 T, dispositivo para múltiplas aplicações em logística que conta com uma funcionalidade a mais de segurança: um sinal de entrada que pode ser utilizado na detecção de violação (Tamper Detection) do inlay.

Mais novo integrante da família CTC13000 – circuitos integrados de ultra alta frequência (UHF) para múltiplas aplicações em logística –, o CTC13001 T pode ser utilizado em lacres e cadeados eletrônicos, garantindo ainda mais segurança a produtos como embalagens, medicamentos, bagagens aéreas, cargas logísticas e roupas, entre outros.

“O valor desta funcionalidade é detectar uma ocorrência de quebra de segurança no inlay ou tag. O Tamper Detection traz como benefício a possibilidade de aliar todas as aplicações típicas da identificação por radiofrequência (RFID) em UHF com a capacidade de monitorar à distância a integridade do inlay” explica o diretor de desenvolvimento de produtos & negócios da Ceitec, Reinaldo de Bernardi.

A nova versão do chip é uma das soluções tecnológicas que poderá ser usada pelas Forças Armadas. A ideia é que o Ministério da Defesa passe a incentivar, por exemplo, o uso de chips projetados no Brasil por fornecedores de uniformes das Forças Armadas, promovendo, por meio da tecnologia de rastreabilidade nacional, a melhoria do controle de estoque e logística de produtos desse setor.

O lançamento do novo produto da Ceitec ocorreu na abertura da Exposição da Base Industrial de Defesa do Brasil – Mostra BID Brasil, na Base Aérea de Brasília. O evento é organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pela Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde) e conta com apoio do Ministério da Defesa e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Análise da fusão PT/Oi pelos reguladores brasileiros só deve ser concluída em 2014
Próximos Telecom Italia diz a sindicatos que acordo será cumprido