Notícias da categroia

Leilão

Os processos de venda de faixas de frequências para prestação de serviços de telecomunicações no Brasil

Cerca de 50 procuradores e advogados monitoraram os tribunais para identificar ações contra a licitação, mas nenhuma foi apresentada.

“Ninguém garante que o governo pudesse arrecadar mais se deixasse a venda para depois”, avalia diretor da Ernest & Young

Para o presidente da agência, João Rezende, os preços pagos foram “razoáveis”, mas a licitação foi importante porque fortalece a banda larga móvel e a digitalização da TV.

Teles ainda não decidiram como vão pagar a frequências nem se usarão outras faixas para cumprir as metas do edital de 2,5 GHz

A arrecadação total do governo foi de R$ 5,85 bilhões – sem contar o que vai ser pago para os radiodifusores pela limpeza da faixa – valor quase 30% inferior à previsão do Ministério da Fazenda, que queria pelo menos R$ 8,2 bilhões. Não houve disputa pelos lotes e a frequência que seria comprada pela Oi ficou sem interessados. Também não teve interessados a faixa da Sercomtel.

A Claro ofereceu R$ 1,947 bilhão por dois blocos de frequência nacionais da licitação de 700 MHz que está ocorrendo agora na Anatel. A operadora ofereceu um ágio de 1% frente ao preço mínimo estabelecido pela Agência. A Telefônica e a Tim desistiram de oferecer proposta maior, visto que terão outros lotes para adquirir sem disputa, já que a Oi, potencial compradora, desistiu do leilão. A TIM levou o segundo lote com ágio de 1% e a Telefônica o terceiro, sem disputa, pelo preço mínimo.

Licitação, que começa a partir das 10hs desta terça-feira (30), pode custar perto de R$ 5 bilhões para tele que comprar um lote na primeira rodada e outro na segunda

Por enquanto, somente as operadoras que adquirirem licenças na frequência de 700 MHz poderão fazer esse uso.

frequencia 03

Empresa alega que operadoras não cumpriram edital da faixa de 2,5 GHZ sobre ressarcimento de ocupantes da faixa