Notícias da categroia

Entrevistas

A opinião de especialistas e profissionais de peso no mercado de telecomunicações, tecnologia e também em regulamentação. Em formato ping-pong


{mosimage} Essa é uma das alternativas na qual a Motorola vem investindo, segundo anuncia o presidente da subsidiária, Enrique Ussher, em entrevista ao Tele.Síntese. O uso da tecnologia Mesh, diz ele, pode baratear o custo de implantação de redes celulares. Com novas tecnologias como esta e a redução da carga tributária, Ussher acredita que é possível fazer avançar a taxa de penetração da telefonia celular no país.

Foto: Divulgação

{mosimage} O Ministério da Defesa irá repassar para a Agência Espacial Brasileira (AEB) a coordenação do projeto do Satélite Geoestacionário Brasileiro (SGB). A intenção é lançar três satélites nacionais até 2011. Conheça os planos da Defesa nesta entrevista do coronel Paulo Pietroluongo, secretário-executivo da Comissão de Implantação do Sistema Militar de Comunicação por Satélite do Ministério da Defesa, que fala também sobre as negociações com a Star One.

Foto: Divulgação

{mosimage}
A MAIS TV, operadora de TV por assinatura via MMDS controlada pelo grupo ITSA (Intercontinental Telecomunicações Ltda), se prepara para digitalizar seus serviços este ano. O ITSA quer ser um prestador multiserviços e ofertar internet banda larga com WiMax e VoIP. É o que revela Hermano Albuquerque, presidente do grupo, nesta entrevista ao Tele.Síntese.

Foto: Divulgação

{mosimage}Depois de registrar um forte incremento no ano passado, a área de serviços da Ericsson mantém-se bem otimista para este ano de 2006. Entre as apostas, segundo Edmilson Toledo, vice-presidente de serviços da empresa, estão o aumento da oferta de conteúdos audiovisuais pelas redes fixas e móveis e a expansão da telefonia celular para as áreas rurais.

Foto: Divulgação

{mosimage}A GVT é a única operadora espelho bem sucedida no Brasil. A empresa vem crescendo, em média, 30% ao ano, nos últimos dois anos. Em 2006, o crescimento continua, diz, em entrevista ao Tele.Síntese, seu presidente, Amos Genish. Hoje, a operadora presta serviços a 1 milhão de consumidores, informa o executivo.

{mosimage}A RFS Brasil é uma empresa de sucesso, garante seu principal executivo,  Luis Antonio Oliveira. Recentemente, a companhia experimentou uma verdadeira revolução, abandonando a venda de commodities e passando a comercializar soluções sem fio.

Foto: Divulgação

{mosimage}Para isso, a empresa, que cresceu 20% em 2005, vai concentrar esforços na área de tecnologia de informação e no desenvolvimento de aplicações. E quer, ainda, se transformar em empresa regional, com atuação na América do Sul, como revela, nesta entrevista, seu diretor-geral Eduardo Cardoso.

Foto: Samuel Iavelberg / Camera 1

{mosimage} Os pré-pagos da Oi poderão, em breve, ser recarregados com poucos centavos e os créditos serão usados em qualquer tipo de telefone. A massificação do micro-carregamento e da multiplataforma, em teste há algum tempo, começa este mês, em Minas Gerais. Leia a seguir os planos de Luiz Eduardo Falco presidente da empresa.

{mosimage}Os governos brasileiro e argentino querem criar uma norma comum para a TV digital. Uma das condições da nova política será a garantia de fabricação local de equipamentos. Leia a entrevista com Ceferino Alberto Namuncurá, interventor da Comissão Nacional de Comunicações (CNC), que esteve presente no Futurecom e falou, com exclusividade, para o Tele.Sintese.


{mosimage}

No projeto de lei que estrutura o novo Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência, a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) terá o papel de fazer a advocacia e a promoção da concorrência nos diversos setores da economia brasileira. Nesta entrevista ao portal Tele.Síntese, o economista Helcio Tokeshi, titular da Seae, explica como ficará a divisão de tarefas entre os órgãos da concorrência e as agências reguladoras.