Capitalização, venda da TIM ou renúncia do CEO. O futuro da Telecom Italia pode ser resolvido esta semana


 

Esta semana poderá ser definitiva para os rumos da Telecom Italia. Amanhã, está sendo aguardado com muita atenção o pronunciamento do Primeiro-Ministro italiano, Enrico Letta, no parlamento italiano. Há pressão de diferentes segmentos da sociedade italiana para manter a operadora nas mãos dos italianos, pois muitos políticos consideram a rede de telecom estratégica para o país.

Além da agenda política, a atenção do mercado está concentrada na reunião do Conselho de Administração, marcada para o próximo dia 3 de outubro. Notícias da imprensa internacional neste final de semana apontavam para uma possível renúncia do CEO da operadora, Franco Bernabè. Isto porque não teria conseguido convencer os principais controladores (Telefónica S.A. (Telefônica), Assicurazioni Generali S.p. A (AG), Intesa Sanpaolo S.p.A. (IS), Sintonia S.A. (SI) e Mediobanca – Banca di Credito Finanziario S.p.A (MB)  a participarem de  um aumento de capital.

 

Bernabé defende uma capitalização de pelo menos 5 bilhões de euros, para garantir os próximos investimentos e evitar que os papeis da operadora italiana sejam reabaixados para o menor nível, ou “junk”. A dívida da Telecom Italia é de 50 bilhões de euros.

 

Conforme o noticiário internacional, a Telefónica, que neste mês ampliou a sua participação na empresa italiana, comprando ações preferenciais de um dos atuais controladores, mas com opção de transformar os papeis em ações ordinárias em 2014, prefere a venda da operadora brasileira, a TIM, como alternativa para capitalizar a matriz italiana. ( Da redação).



Anterior Seae sugere a criação de mercado secundário de aluguel de postes
Próximos Wayra abre nova chamada para startups tecnológicas