Câmara 4.0 da Saúde é lançada para integrar atendimento médico dos brasileiros


Foto: Rawpixel

Os Ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e de Saúde lançaram, nesta quinta-feira, 30, a Câmara da Saúde 4.0, com o objetivo de encontrar soluções e a integração de dados para melhorar o atendimento médico de todos os brasileiros. O colegiado é uma das ações previstas no Plano Nacional de Internet das Coisas, lançado pelo MCTIC em 2019.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirma que o SUS (Serviço Único de Saúde) terá as ferramentas para aperfeiçoar o atendimento à saúde dos brasileiros, chegando em cidades onde o serviço não atende, por meio de dispositivos conectados. “Vamos precisar de soluções de satélite, cabos e rádios para levar a saúde em zonas remotas, como no centro da Amazônia, para atendimento da comunidade indígena”, afirma.

Segundo Mandetta, as soluções serão construídas pelo setor privado, enquanto o SUS será o repositório dos dados, que servirão para o planejamento de ações de medicina preventiva, atendimento em locais remotos, vigilância epidemiológica, ampliação da vacinação e telemedicina. Por esta razão, ressalta que a Câmara será participativa, inclusive para a definição da alocação de recursos. “O Brasil será o primeiro país continental com a área da saúde totalmente integrada”, prevê.

PUBLICIDADE

Para o ministro astronauta Marcos Pontes, o MCTIC está pronto para fazer frente à curva ascendente de evolução tecnológica, com o advento do 5G e de ações de Internet das Coisas e do uso da Inteligência Artificial. “Em todos os setores têm tecnologia para melhorar a qualidade de vida dos brasileiros”, disse.

A Câmara da Saúde 4.0 será coordenada pelo MS, em comum acordo com o MCTIC, estimulando a participação da academia, institutos de ciência e tecnologia, iniciativa privada e demais atores relevantes no cenário da inovação no contexto da saúde nacional, com a participação de estados e municípios, e com o objetivo de aproximar os membros, identificar e discutir assuntos relevantes, buscar sinergias, alinhar ações, articular e propor iniciativas para a implementação de IoT.

 

Anterior Apple e Broadcom são condenadas a pagar US$ 1 bilhão por violarem patentes do WiFi
Próximos Huawei encerra 2019 à frente da Apple como 2ª maior fabricante de smartphones