Call center: Sistema permitirá monitoramento contínuo.


Além do "barômetro", pesquisa que mostra a situação dos call centers das empresas dos setores regulados poucos dias antes da entrada em vigor das novas regras, o Ministério da Justiça apresentou também hoje a alteração do Sindec (Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor), para servir de instrumento de monitoramento e fiscalização contínuo dos …

Além do "barômetro", pesquisa que mostra a situação dos call centers das empresas dos setores regulados poucos dias antes da entrada em vigor das novas regras, o Ministério da Justiça apresentou também hoje a alteração do Sindec (Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor), para servir de instrumento de monitoramento e fiscalização contínuo dos serviços de atendimento ao cidadão. Para isso, foi incluído no software do Sindec, que congrega as informações dos 23 Procons, um campo específico para registrar informações sobre os call centers.

"O sistema irá auxiliar na estratégia de fiscalização, à medida que as informações inseridas servirão como indicadores para a intervenção do órgão de defesa do consumidor", explicou o diretor do DPDC (Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor), Ricardo Morishita. Ele disse que o Sindec também permitirá a pesquisa sobre a qualidade de atendimento pelas empresas.Além da reclamação direta, os Procons também incluirão informações dos consumidores sobre o atendimento dos call centers, mesmo quando eles procurarem o órgão por causa de outro problema. "A ineficiência do call center será também registrada no Sindec, como demanda secundária, para ampliar a base de dados", explicou Morishita.

Segundo o diretor do DPDC, não existe um sistema de regulação e acompanhamento de call center semelhante ao brasileiro em nenhum lugar do mundo. "É um sistema inédito", disse.

O decreto que regulamenta o call center entrou em vigor hoje, depois de 180 dias de prazo para adequação das empresas. O descumprimento da norma pode gerar multas que variam de R$ 200 a R$ 3 milhões, previstas no Código de Defesa do Consumidor.

Anterior Call centers: MJ vai notificar operadoras de telefonia fixa.
Próximos IBM prevê internet por voz nos próximos cinco anos