Cai a qualidade percebida da banda larga fixa e telefonia móvel


A qualidade da banda larga fixa percebida pela população caiu em relação aos resultados obtidos no ano anterior. É o que aponta a pesquisa realizada pela Anatel em 2013 e divulgada recentemente. O serviço obteve média de 3,23 (a nota máxima é 5), enquanto que no levantamento de 2012, a nota foi de 3,31.

No caso da telefonia móvel pré-paga, a nota caiu de 3,61 para 3,51 entre 2012 e 2013. E na pós-paga, de 3,30 para 3,26 em igual período. Nos serviços, as operadoras de menores portes obtiveram maior aprovação dos usuários.

Banda larga

A pesquisa da qualidade percebida foi realizada por telefone e ouviu 85,4 mil usuários da telefonia móvel e 47,9 mil da banda larga fixa. Os períodos de coleta foram de abril a maio de 2013 e outubro a dezembro de 2013, no caso dos assinantes de celulares e de outubro a dezembro de 2013, com assinantes do serviço de conexão à internet.

Na banda larga fixa, o quesito que obteve menor aprovação foi o de orientação aos assinantes, que recebeu a nota mínima de 22,1% dos entrevistados. Já o suporte técnico oferecidos pelas empresas recebeu a nota máxima de 44% dos usuários ouvidos.

Entre as empresas, a melhor classificada foi a Cabo Telecom, que obteve a nota 3,96 ante os 3,81 obtidos na pesquisa anterior. A Sercomtel ficou com 3,80, nota menor do que a alcançada em 2012, de 3,82. A nota da GVT caiu de 3,83 para 3,59 na comparação dos resultados das duas pesquisas. E a da NET se manteve inalterada em 3,47.

A avaliação da CTBC também caiu, de 3,38 para 3,33. Assim como a da Embratel (de 3,36 para 3,32), da Vivo (de 3,20 para 3,07) e da Oi (de 3,31 para 3,04).

Telefonia móvel

Na telefonia móvel pré-paga, a maior queixa dos usuários é quanto a qualidade das ligações, que recebeu nota mínima de 20,4% dos entrevistados. Mas no quesito “conta e cartão”, 53% dos usuários deram nota máxima.

Entre as empresas, a Sercomtel foi a melhor avaliada alcançando a nota de 3,89, resultado menor do que o obtido em 2012, de 4,0. A CTBC, no entanto, apresentou crescimento: de 3,79 em 2012 para 3,81 em 2013. Enquanto a nota da Vivo caiu de 3,81 para 3,68.

A Claro também apresentou queda no desempenho na comparação dos resultados das duas pesquisas: de 3,69 para 3,53. Da mesma forma que a Oi (de 3,49 para 3,46) e a TIM (de 3,45 para 3,35).

As maiores queixas na telefonia móvel pós-paga também é quanto a qualidade das ligações, que recebeu nota mínima de 21% dos entrevistados. O maior índice de aprovação também foi observado no quesito “conta e cartão”, que recebeu nota máxima de 42,1% dos assinantes ouvidos.

A melhor empresa avaliada, a Sercomtel, praticamente manteve a mesma nota da pesquisa realizada em 2012, passando de 4,32 para 4,31. Mas a qualidade percebida pelos assinantes da CTBC caiu de 3,76 para 3,53. A nota da Vivo também caiu: de 3,62 para 3,51 entre 2012 e 2013.

A nota da Claro também apresentou queda: de 3,40 para 3,32. A da Oi variou pouco, de 3,10 para 3,09. A da TIM, subiu de 2,76 para 2,88, mas continua muito abaixo da média obtida de 3,26.

Anterior Justiça capixaba pune crimes virtuais com prisão
Próximos Mark O'neill: APIs dão segurança ao BYOD