Cade aprova compra de ações de Eike Batista da SIX por grupo argentino


Fornecedoras para 4G prometem tecnologia nacionalO Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou, sem restrições, a compra de parte do capital da empresa SIX Semicondutores do Grupo EBX pelo grupo argentino Corporación América, que atua em vários países e em diferentes setores, incluindo, dentre outros, concessão de aeroportos, infraestrutura, óleo e gás, agronegócio, energias renováveis e tecnologia. O valor da transação não foi divulgado, mas o presidente do grupo, o empresário, Eduardo Eurnekian, disse à época que assumiria todos os pontos do contrato que estavam a cargo da EBX, de Eike Batista.

No total, o grupo argentino ficará com 33,02% do capital social da empresa, sediada em Ribeirão das Neves (MG). Os outros parceiros do empreendimento são BNDES, Matec Investimentos, BDMGTEC Participação, IBM e Tecnologia Infinita WS IN-TECS.

A SIX ainda está em fase pré-operacional, mas tem como objetivo integrar as etapas de projeto, manufatura e comercialização de semicondutores. O foco da empresa é a fabricação, a partir de 2015, de chips para utilização em aplicações industriais e médicas, “criando espaço para que o Brasil ingresse em um setor de alta tecnologia com forte demanda nacional e internacional, gerando grandes impactos positivos em diversos segmentos da economia, como, dentre outros, nos setores automotivo, de equipamentos médicos, bens de capital e aeroespacial, além de ser um dos setores com mais elevado potencial de crescimento”, avalia o Cade.

A operação foi anunciada em janeiro deste ano, depois que o empresário Eike Batista desistiu de investir na empresa, que exige recursos da ordem de R$ 1 bilhão. A expectativa dos sócios é de que dois terços dos chips fabricados pela SIX sejam vendidos na América Latina, enquanto o restante será expandido para mercados como Europa e Ásia.

Anterior NETmundial deve recomendar internet sem vínculo com os EUA
Próximos Venda menor de computadores derruba taxa anual de varejo do setor para -4,6%