BRQ fatura R$ 22 milhões no primeiro trimestre


A empresa BRQ, uma das principais fornecedoras de Serviços de TI do país e que atua nos setores de integração, desenvolvimento de aplicações e venda de software e hardware, entre outros, faturou R$ 22 milhões no primeiro trimestre deste ano, R$ 9 milhões a mais do que obteve no mesmo período do ano passado. Segundo …

A empresa BRQ, uma das principais fornecedoras de Serviços de TI do país e que atua nos setores de integração, desenvolvimento de aplicações e venda de software e hardware, entre outros, faturou R$ 22 milhões no primeiro trimestre deste ano, R$ 9 milhões a mais do que obteve no mesmo período do ano passado.

Segundo informações da empresa, o resultado positivo se deve especialmente ao crescente faturamento mensal da BRQ desde o final do ano passado e ao desempenho da unidade de outsourcing de desenvolvimento e manutenção, tanto na base de clientes quanto em novas contas. "Normalmente existe uma queda acentuada de faturamento nos primeiros meses do ano, porém, em 2006, esta queda não ocorreu", explica Benjamin Quadros, presidente da BRQ. 

Além disso, a companhia registrou um crescimento significativo nos projetos de offshore para clientes fora do Brasil e o setor financeiro foi um dos destaques. As receitas provenientes com offshore em 2005 foram de US$ 1,4 milhão. Para 2006, a expectativa é atingir US$ 7 milhões.O principal mercado alvo da BRQ com offshore atualmente é os Estados Unidos. Em 2005, a BRQ faturou R$ 73 milhões e a previsão é de R$ 115 milhões para 2006.
O aumento do faturamento da BRQ reflete diretamente na contratação de profissionais de TI. Até o final deste ano, mais de 800 vagas deverão ser preenchidas. Em 2005, a companhia encerrou o ano com um total de 1.105 funcionários. Atualmente, a BRQ conta com 1.219 profissionais. Entre os clientes BRQ estão a IBM, Microsoft, Adobe/Macromedia, Oracle, BMC Software, Unibanco, Grupo Pão de Açúcar, Citibank, Serpro, Prodesp e Globo.com.

Fonte: assessoria de imprensa BRQ

Anterior O mercado diz não à mera hipótese de um quinto competidor na terceira geração do SMP
Próximos Banda larga avança. Mas em ritmo mais lento.