predio-Qualcomm

O conselho de administração da Qualcomm recusou outra oferta de aquisição da Broadcom na semana retrasada. A proposta previa o pagamento de US$ 82 por ação, o que representaria um valor total de US$ 121 bilhões, além de compromissos que somam mais US$ 8 bilhões e a dívida, de cerca de US$ 25 bilhões.

Em carta publicada na sexta-feira, 16, Paul Jacobs, deu os motivos da negativa. Reclamou de a Broadcom não explicar o que pretende fazer com as empresas do grupo após a compra. Ressaltou que a Broadcom não apresentou plano sobre o destino da unidade de licenciamento de patentes, tampouco as iniciativas que tomaria para se adequar às exigências que serão feitas por órgão antitruste dos Estados Unidos e da Europa.

A Broadcom diz que os R$ 121 bilhões foram sua oferta final. Nos bastidores, executivos da empresa ainda torcem para que os acionistas elejam novo conselho de administração na próxima assembleia geral, marcada para o início de março. A própria Broadcom indicou seis novos nomes para renovar o comando da rival, todos favoráveis à fusão. (Com agências internacionais)