Brasscom vê aumento de negócios de TIC com a ANPD


A Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) vê na lei da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), sancionada na última segunda-feira, 8, o compromisso do país com a nova economia intensiva de dados. Estudo da entidade prevê investimentos de R$ 346 bilhões até 2022 em tecnologias da transformação digital, que serão potencializadas pelos novos marcos legais.

A Brasscom acredita que, finalmente, governo, sociedade e mercado entrarão em uma nova fase econômica e social de uso intensivo de dados pessoais, que harmonize práticas legítimas de inovação e indução produtiva e a proteção dos direitos fundamentais dos cidadãos, com o uso seguro dos ambientes virtuais. “O Brasil eleva o nível de segurança jurídica sobre a matéria, conferindo a proteção de direitos fundamentais e a indução econômica em meio à 4ª revolução industrial”, sustenta a entidade.

A associação teve um papel ativo na tramitação da Lei da ANPD como na da Lei Geral de Proteção de Dados, aprovada no ano passado. Para a entidade, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados é o órgão central para a operacionalização do arcabouço jurídico da proteção aos dados pessoais.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Teles lançam plataforma "Não Perturbe" no dia 16
Próximos Instabilidade no Brasil não afugenta investimentos, segundo CEO da Prysmian na AL