Brasil terá domínio b.br exclusivo para bancos


O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) anuncia o início da operação do Domínio de Primeiro Nível (DPN) b.br para instituições financeiras. Com essa medida, os usuários de serviços bancários pela Internet passam a contar com uma nova opção, que isolará o segmento bancário do conjunto de outras aplicações comerciais. Segundo Demi …

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) anuncia o início da operação do Domínio de Primeiro Nível (DPN) b.br para instituições financeiras. Com essa medida, os usuários de serviços bancários pela Internet passam a contar com uma nova opção, que isolará o segmento bancário do conjunto de outras aplicações comerciais.

Segundo Demi Getschko, diretor-presidente do NIC.br, essa ação visa principalmente aumentar a segurança dos usuários na rede: "Algumas da fraudes costumeiras e que preocupam os usuários ficarão impossibilitadas no b.br. Por exemplo, um sítio que tenha nome terminado em b.br será, certamente, um banco", afirma. De acordo com as regras para o registro desses domínios, o nome registrado sob esse DPN será, obrigatoriamente, de uma instituição bancária. A triagem dessas instituições será realizada pelo NIC.br.

Além do caráter restrito inerente ao novo DPN, o b.br contará com a adoção obrigatória do protocolo DNSSEC, que adiciona segurança ao DNS, por meio da assinatura das respostas. Dessa forma, a possibilidade de fraude no acesso ao DNS será eliminada, desde que a cadeia de resolução utilizada pelo usuário final possua DNSSEC. "A obrigatoriedade do DNSSEC é essencial para garantir o caminho até um endereço seguro; o b.br é esse endereço", ressalta Frederico Neves, diretor de Serviços e Tecnologia do NIC.br.

O NIC.br já utiliza a tecnologia na raiz .br e na grande maioria dos DPNs, mas o uso do DNSSEC nos domínios abaixo deles é opcional. Já no b.br, o DNSSEC será obrigatório para todos nomes. ( Fonte: assessoria de imprensa)

Anterior SanDisk nomeia gerente de marketing para América Latina
Próximos Minicom diz ao CGI que já está estudando a separação de redes