Brasil sustenta conexões de dados de Angola com o mundo


Em função das quebras de conectividade dos cabos SAT 3 e WACS (West Africa Cable System), o SACS, da Angola Cables, é neste momento o único sistema de fibra óptica submarina ativo e totalmente operacional de Angola, capaz de canalizar e assegurar as comunicações daquele país para o mundo. Significa que as comunicações de Angola são enviadas para o Brasil, daqui para os EUA via cabo Monet, de lá para o resto do planeta.

As avarias foram identificadas na última semana e tornaram a internet lenta para o usuário final naquele país. O SAT-3 pertence à operadora local Angola Telecom, enquanto o WACS é da própria Angola Cables. Ambas afirmam que trabalham nos reparos.

O SACS entrou oficialmente em operação em Setembro 2018, e liga a África à América do Sul. É gerido integralmente pela Angola Cables, concebido com uma tecnologia WDM coerente de 100 Gbps, 4 pares de fibra, e capacidade total projetada de 40 Terabytes por segundo, sendo que, a rota Luanda (Angola) e Fortaleza (Brasil) oferece uma latência super baixa de aproximadamente 63 milisegundos. (Com assessoria de imprensa)

Anterior 7 mil empresas de TI ganham redução de ISS no DF
Próximos Roku chega ao Brasil em TVs AOC e com conteúdo Globoplay