Brasil já é 2º maior mercado da Microsoft em computação em nuvem


Um mês após o lançamento do Office 365, versão na nuvem da tradicional suíte de aplicativos da Microsoft, no Brasil, e o país já se tornou o segundo maior mercado de nuvem da gigante de software norte-americana, atrás apenas dos Estados Unidos, levando a empresa a abrir seu primeiro data center aqui. “A aceitação foi enorme”, afirmou Marco Bravo, diretor de business development da companhia no país, em entrevista ao Tele.Síntese durante evento da consultoria Frost&Sullivan nesta terça-feira (6) em São Paulo.

 

“Com o cloud, o Brasil pode recuperar os investimentos em TI que não foram feitos antes”, disse o executivo, destacando o enorme potencial de crescimento do país no segmento, especialmente entre pequenas e médias empresas. A versão em português do Office 365, chegou ao Brasil no mês passado, cinco meses após o lançamento mundial do principal produto da Microsoft em cloud computing. A US$ 6 por usuário, a licença permite o uso do aplicativo em até cinco dispositivos diferentes, segundo Bravo, que não deu mais detalhes sobre o data center que acompanha a vinda do produto ao país.

 

Bravo lembrou que a Microsoft também lançou recentemente no Brasil seu sistema operacional móvel Windows Phone, que vem com o Office integrado e é destaque da estratégia da empresa de focar em computação em nuvem e mobilidade. “A nuvem é a melhor forma de trazer uma experiência única para o cliente em qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer dispositivo”, afirmou.

 

Outra aposta da companhia são as tecnologias de interface natural, inauguradas com o lançamento do videogame Kinect, da Microsoft (mas hoje já vem sendo testado para diversas outras aplicações, como no setor de saúde), e que, para Bravo, serão um divisor de águas para a indústria de tecnologia.

Anterior Telefônica vai usar plataforma da Microsoft para IPTV
Próximos CPFL Energia adota solução de comunicação unificada da Siemens Enterprise