Brasil e China concluem testes para lançamento de satélite


Os testes para lançamento do novo satélite para monitoramento territorial, CBERS-2B (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres), foram concluídos com sucesso hoje, 12 de setmbro, na China. O satélite será o terceiro da parceria entre Brasil e China, com previsão de lançamento entre 19 e 21 deste mês, da base de Taiyuan. Nos próximos dias 14 …

Os testes para lançamento do novo satélite para monitoramento territorial, CBERS-2B (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres), foram concluídos com sucesso hoje, 12 de setmbro, na China. O satélite será o terceiro da parceria entre Brasil e China, com previsão de lançamento entre 19 e 21 deste mês, da base de Taiyuan. Nos próximos dias 14 e 15 ocorrerão dois ensaios para simular as atividades que serão realizadas durante o lançamento real do satélite.

“Os resultados dos testes desta fase final da campanha deixaram os técnicos bastante otimistas. Isto reflete o sucesso do programa de testes executado nas fases anteriores, que foram efetivos na identificação e correção dos problemas”, ressaltou José Iram Barbosa, chefe do Serviço de Garantia do Produto do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que participa da campanha de lançamento na China.

No Brasil, o desenvolvimento do CBERS coube ao Inpe, órgão vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT). Na China, o programa está sob a responsabilidade da CAST (Chinese Academy of Space Technology). Depois de montado, integrado e testado na sede do Inpe, em São José dos Campos (SP), o CBERS-2B foi levado em abril para a China. No Taiyuan Satellite Launch Center, novos testes verificaram a interface entre satélite, lançador e centro de controle de lançamento.

Programa CBERS

O Programa CBERS, em parceria com a China, colocou o Brasil entre as nações que detêm a tecnologia do sensoriamento remoto, estratégica para o monitoramento ambiental, aplicações como mapas de queimadas e desflorestamento da região amazônica, e estudos na área de desenvolvimento urbano nas grandes capitais do país. Hoje o Brasil é o maior distribuidor de imagens de satélite do mundo, graças à política de distribuição gratuita, implantada em junho de 2004. Desde então já foram distribuídas mais de 320 mil imagens a usuários do território brasileiro. Cerca de 1.500 instituições, entre órgãos públicos, universidades, centros de pesquisas e ONGs, além da iniciativa privada, utilizam as imagens do satélite sino-brasileiro.

Família de satélites

CBERS-1: primeiro da colaboração Brasil-China, lançado em 14 de outubro de 1999, funcionou até agosto de 2003 (dois anos a mais que o previsto), possui três câmeras;
CBERS-2: idêntico ao CBERS-1; lançado em 21 de outubro de 2003, continua a funcionar com apenas uma das três câmeras;
CBERS-2B: construído como versão de teste do CBERS-2, será lançado entre 19 e 21 deste mês, com vida útil prevista de dois anos;
CBERS-3: primeiro da “nova geração”, com lançamento previsto para 2009; terá quatro câmeras e tecnologia superior;
CBERS-4: deverá ser idêntico ao CBERS-3, com lançamento previsto para 2011; e
SSR-1: Satélite de Sensoriamento Remoto, rebatizado de Amazônia-1, em construção, com previsão de lançamento em 2010; será o primeiro satélite desse tipo 100% brasileiro (Fonte: Assessoria de Imprensa do Inpe)

Anterior Venko quer reestrear no mercado paulista com celulares de médio porte
Próximos Minicom: telecentros serão fiscalizados por comitê gestor