shutterstock_ LeventeGyori_telefonia_fixa_concessionaria_operadoras_qualidade_call_center

De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil tinha 41,1 milhões linhas fixas em uso em setembro de 2017. O número corresponde a uma redução de 1,14 milhão (-2,69%) se comparado com o mesmo mês do ano passado.

Enquanto as linhas das concessionárias da telefonia fixa apresentaram uma queda de 1 milhão de linhas (-4,23%), as autorizadas perderam 78,4 mill acessos (-0,46%) no período.

Entre as autorizadas, a TIM registrou 199.651 novas linhas (+38,57%). Foi o maior crescimento nos últimos 12 meses dentre todas as empresas. Depois veio a Algar Telecom, com 70.283 novas linhas (+28,55%), e Oi, com 15.279 novos acessos (+9,68%).

As concessionárias que apresentaram crescimento no período foram Algar Telecom, com 21.035 novas linhas (2,87%) e a Claro, com a adição 177 novos números (+10,79%). As outras registraram redução. A Oi teve diminuição de 727 mil linhas em 12 meses, enquanto a Vivo, de 350 mil.

Comparação mensal

Na comparação com setembro e agosto de 2017, o Brasil registrou redução de 117.493 linhas fixas (-029%). As concessionárias apresentaram diminuição de 136.761 linhas (-0,57%) e as autorizadas aumento de 19.268 linhas fixas (+0,11%).

Comparando setembro de 2017 com o mês anterior, entre as autorizadas, a Algar Telecom registrou 4.390 novas linhas (+1,41%) e todos os outros grupos apresentaram variação menor do que 1% para cima ou para baixo. Entre as concessionárias a maior redução foi da Oi com menos 83.164 linhas fixas (-0,61%), seguida da Vivo com menos 53.148 linhas fixas (-0,56%).

Regiões

Entre os estados, o maior crescimento no número de linhas das autorizadas foi em Santa Catarina com 47.098 novas linhas (+6,91%) nos últimos doze meses e a maior redução foi em São Paulo com menos 80.995 (-1,38%). Em relação às concessionárias, todos os estados apresentaram queda neste período.

Na comparação entre setembro e agosto de 2017, Minas Gerais apresentou o maior crescimento das autorizadas no país com mais 4.797 linhas (+0,35%) e o Rio de Janeiro a maior queda com menos 4.439 linhas fixas (-0,21%). Em relação às concessionárias, o Acre com mais 79 linhas (+0,13%) foi o único estado que apresentou variação positiva.