Brasil chega a 125,8 milhões de celulares em março. Vivo mantém liderança


O número de assinantes de celulares no Brasil subiu para 125,8 milhões no mês de março, com a habilitação de mais 1.688.584 linhas, resultado 74,85% maior que as 965.728 adesões registradas no mesmo mês de 2007. O crescimento registrado em março foi de 1,36% em relação ao mês de fevereiro deste ano. E o destaque …

O número de assinantes de celulares no Brasil subiu para 125,8 milhões no mês de março, com a habilitação de mais 1.688.584 linhas, resultado 74,85% maior que as 965.728 adesões registradas no mesmo mês de 2007. O crescimento registrado em março foi de 1,36% em relação ao mês de fevereiro deste ano. E o destaque continua sendo os acessos pré-pagos, que chegaram a  80,87% das habilitações (101.748.647). Os pós-pagos representam 19,13% das adesões (24.062.416).

Segundos os números divulgados hoje pela Anatel, a Vivo continua na liderança, com participação de 27,28% no mercado brasileiro de telefonia móvel, acima dos 27,32% em fevereiro e a Tim, embora tenha reduzido sua participação -de 26,06% em fevereiro para 25,78% em março, manteve o segundo lugar. A Claro, com participação praticamente estável (de 24,80% para 24,78%) ocupa o terceiro lugar. A Oi, que é a quarta operadora, subiu sua participação no mercado de 13,78% em fevereiro para 13,54% em março.

A Telemig Celular/Amazônia Celular, em quinto lugar, apresentou redução de 4,31% para 4,29%, enquanto a  Brasil Telecom  aumentou a participação de 3,61% para 3,64%. A CTBC Telecom Celular (de 0,30% para 0,31%) e a Sercomtel Celular (0,06%) possuem a menor participação, mantendo praticamente os mesmos índices registrados nos quatro meses anteriores.

A teledensidade – indicador utilizado internacionalmente para demonstrar o número de telefones em serviço em cada grupo de 100 habitantes –  do serviço móvel no país continua crescendo e chegou ao índice de 65.90. O Distrito Federal continua liderando este item, com índice de 120,83 – ou seja, 1,20 telefone para cada habitante. Comparado com o mês anterior, o índice apresentou, em março, crescimento de 1,13% (era 119,47). O Rio de Janeiro, segundo colocado no ranking, cresceu 1,34% (subiu de 80,98 para 82,07). Em terceiro no indicador, o Mato Grosso do Sul tem índice de 80,03 e apresentou crescimento de 0,97% (era de 79,26).

Sergipe (índice de 63,91 e crescimento de 2,60%), Maranhão (índice de 29,31 e crescimento de 2,29%) e Pará (índice de 44,43 e crescimento de 2,25%) obtiveram as melhores taxas de crescimento do indicador no mês de março. (Da Redação)

Anterior América Latina faz Telefónica antecipar metas
Próximos Debate do PL 29 em Comissão Geral é adiado para quarta (23)