Brasil cai no ranking global de Tecnologia da Informação


O Brasil caiu para a 61ª colocação (2 lugares) no ranking do Relatório Global de Tecnologia da Informação 2009-2010, divulgado hoje pelo World Economic Forum. Apenas quatro economias da América Latina e do Caribe estão listadas entre as 50 primeiras colocações do Relatório Global de Tecnologia da Informação 2009-2010• Barbados (35º) confirma sua posição como …

O Brasil caiu para a 61ª colocação (2 lugares) no ranking do Relatório Global de Tecnologia da Informação 2009-2010, divulgado hoje pelo World Economic Forum. Apenas quatro economias da América Latina e do Caribe estão listadas entre as 50 primeiras colocações do Relatório Global de Tecnologia da Informação 2009-2010• Barbados (35º) confirma sua posição como economia de melhor preparo tecnológico da América Latina e do Caribe; a Costa Rica (49°) e Uruguai (57º) registram os maiores avanços (7 lugares) no continente, e o México cai para a 78º colocação. A Suécia está em primeiro lugar, seguida pela Cingapura, a Dinamarca (que perde a liderança após três anos), a Suíça e os Estados Unidos, que caíram dois lugares. Os países nórdicos como Finlândia (6º) e Noruega (10º), junto com o Canadá (7º), Hong Kong (8º) e a Holanda (10º) completam as 10 primeiras posições. O relatório destaca a importância de TIC como plataforma para um mundo mais sustentável em termos econômicos, ambientais e sociais após uma das piores crises das últimas décadas.

 “A maior capacidade da Suécia, da Cingapura e da Dinamarca de implementar a TIC como plataforma para desenvolver crescimento econômico sustentável no longo prazo aproveita da mesma postura, que nasce do foco tradicional do governo e do setor privado em educação, inovação e acesso e difusão de TIC”, afirma Irene Mia, Economista Sênior da Rede de Competitividade Global do World Economic Forum e editora conjunta do relatório. “O sucesso desses países mostra a importância de uma visão compartilhada da TIC, a adoção de abordagens por todas as partes interessadas da sociedade de um país para aproveitar dos avanços da TCI no cotidiano e como parte de uma estratégia de competitividade mais abrangente.”

O relatório é produzido pelo World Economic Forum em colaboração com a INSEAD, a maior escola internacional de negócios, dentro da estrutura da Rede de Competitividade Global e o Programa de Parceria Industrial para as Indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, do World Economic Forum.Divulgada pelo nono ano consecutivo com uma cobertura inédita de 133 economias mundiais, o relatório ainda é a maior e mais consagrada avaliação internacional do impacto de TIC no processo de desenvolvimento e competitividade de nações. (Fonte: assessoria de imprensa).

 

 

Anterior Ministério das Comunicações reabre delegacia em cinco estados
Próximos Oi apresenta as novas condições de troca das ações da BrT