Brasil cai 9 posições no ranking de uso de TICs


O Brasil perdeu nove posições ante o resultado de 2013 no ranking global de 148 países, que mede a capacidade de uma nação usar a tecnologia da informação para estimular a competitividade e o bem-estar. O país ficou no 69º lugar, em uma lista liderada pela Finlândia, Cingapura, Suécia, Holanda, Noruega e Suíça. Entre os dez primeiros, Estados Unidos (7º), Hong Kong (8º) e Coreia do Sul (10º) avançaram. Já o Reino Unido (9º) caiu.

O índice é elaborado pelo Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês) em parceria com uma rede de organizações em todo o mundo. O resultado, que consta do Relatório Global sobre Tecnologia da Informação 2014, foi divulgado esta semana. Em 2013, o Brasil havia subido cinco posições em relação ao ano anterior, subindo para a 60ª posição.

Na América Latina, o Chile é o país mais bem colocado, em 35º lugar, apesar de ter perdido uma posição na comparação com 2013. Porto Rico (41º), Panamá (43º), Costa Rica (53º) e Colômbia (63º) também superam o Brasil. Entre os Brics, a Rússia (50ª) tem o melhor desempenho. A China vem na 62ª posição; a Índia, na 83ª.

O relatório analisa quatro pontos: infraestrutura, qualificação e custo de acesso à tecnologia; preparo de governos, empresas e pessoas para o uso da TIC; ambiente de inovação, de negócios, político e regulatório; e impactos econômicos e sociais gerados pela tecnologia.

De acordo com o levantamento, o Brasil tem pior colocação no item de ambiente de negócios e inovação: 121º lugar. No item habilidades, o país aparece na 86ª colocação. Já no subíndice de uso, o Brasil está na 54ª posição – 66º em uso individual, 56º em uso governamental e 33º em uso nos negócios.

Anterior UE: sociedade civil não deve se sentir derrotada se não sair neutralidade do NETMundial
Próximos NETMundial: documento final acaba sem neutralidade e ameno com vigilância