Brascan avalia como positivo empréstimo da BrT


A maior parte (62%) do financiamento de R$ 2,1 bilhões anunciado na última sexta-feira, dia 4, será liberada diretamente pelo BNDES, e o restante será repassado através de um consórcio de agentes financeiros, liderado pelo Banco do Brasil. Os recursos captados se destinam à ampliação da infra-estrutura de rede (dados, voz e imagem) e à …

A maior parte (62%) do financiamento de R$ 2,1 bilhões anunciado na última sexta-feira, dia 4, será liberada diretamente pelo BNDES, e o restante será repassado através de um consórcio de agentes financeiros, liderado pelo Banco do Brasil. Os recursos captados se destinam à ampliação da infra-estrutura de rede (dados, voz e imagem) e à área de tecnologia de informação, basicamente para os produtos de IPTV e Único (serviço cujo terminal combina telefonia fixa e móvel). Na avaliação do analista Felipe Cunha, da Brascan, o anúncio é positivo, porque o financiamento permitirá o barateamento do custo de capital de terceiros da Brasil Telecom, o que deve favorecer a sua valorização, e não implicará maiores problemas para a sua capacidade de pagamento, pois a dívida líquida da operadora  alcançará valor próximo a R$ 4,1 bilhões (considerando as debêntures colocadas em julho/06, no valor de R$ 1 bilhão, para amortização de dívidas anteriores). “Isso representará um indicador dívida líquida/EBITDA de praticamente 1,25x, o que consideramos confortável, em virtude, principalmente, do alongamento do prazo”, observa Cunha. Para o analista, as ações da operadora (BRTO4) têm potencial de valorização de 89,3% sobre a cotação de fechamento de 06.10.06.

(Da Redação)

Anterior Pirelli perto do controle total da Telecom Itália
Próximos Serviços ao cidadão pelo celular, via SMS.