BNDES vai financiar mais micro e pequenas empresas com foco em inovação


O Cartão BNDES, que financia micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), ultrapassou pela primeira vez a cifra de R$ 1 bilhão em desembolsos mensais em agosto e, nos primeiros oito meses do ano liberou mais de R$ 7 bilhões, um aumento de 11% em relação a igual período de 2013. Para reforçar o atendimento a esse segmento, o BNDES anunciou hoje, em São Paulo, as recentes iniciativas para ampliar a linha de crédito para empresas com faturamento até R$ 90 milhões/ano e que tenham foco na inovação. “Para participar não precisa apresentar nenhum projeto, mas é necessário atender a alguns requisitos como usar o Cartão BNDES, ter registro de uma patente de software ou estar na lista de uma incubadora ou de um parque tecnológico”, explicou o analista do Departamento de TIC do BNDES, André Medrado.

A nova linha de financiamento, criada em maio deste ano pelo BNDES, financia até R$ 20 milhões por empresa, com juros fixos de 4% ao ano; carência de até quatro anos e prazo para pagamento de até dez anos. “Mas esses são prazos limite. Uma operação para remunerar o investimento deve pensar numa carência de dois anos e ter o retorno do investimento em cinco a seis anos”, alertou Medrado. Ele apresentou hoje o programa na Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista, que operacionaliza as linhas de crédito do BNDES no Estado de São Paulo. Anteriormente, o programa foi lançado no Rio Grande do Sul, em parceria com o BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento). E está disponível para todos agentes financeiros do BNDES, como Banco do Brasil, CEF e outros bancos regionais.

De acordo com a Chefe do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação do BNDES, Irece Kauss, desde o lançamento do Programa MPME Inovadora, mais de 20 empresas já manifestaram interesse. “Este programa complementa o Prosoft, mas contempla maior número de empresas, da micro até a média, e financia até a folha de pagamento”, destacou. Como é voltado para inovação, uma empresa de software pode, por exemplo, financiar sua folha de pagamento. Ela destacou que, ao contrário do Prosoft, que faz financiamentos a partir de R$ 1 milhão, o Programa MPME Inovadora financia valores menores. Outro atrativo é que não exige garantias. As empresas podem recorrer ao FGI (Fundo Garantir para Investimentos), que tem o BNDES como corista e dá o aval para a operação.

O programa foi lançado hoje em São Paulo, em evento na Desenvolve SP que reuniu entidades setoriais como a Assespro, ABES e ITS. Para mais informações sobre o programa, acesse www.bndes.gov.br .

 

Anterior Consolidação: Anatel já autorizou sobreposição de licença e aumento de spectrum cap
Próximos Ericsson desiste de unidade de modems