BNDES financia rede de fibra ótica da Brisanet no Nordeste


shutterstock_ maxuser
shutterstock_ maxuser

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiou, com R$ 20 milhões da linha BNDES Finem – Telecomunicações, a expansão da rede de fibra ótica do provedor Brisanet, de Pereiro (CE), que passa a atender 170 mil famílias no interior do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte com serviços de telecomunicações – internet, TV e telefonia. O projeto, que começou a ser implantado em 2015, resultou na entrega de mais 10 mil quilômetros de fibra ótica no fim do mês passado.

A aproximação entre o BNDES e a Brisanet teve início há 4 anos, quando o Banco foi procurado pela Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint), da qual a empresa é integrante, para superar dificuldade enfrentada pelos pequenos provedores no acesso a crédito para investimento. O apoio à Brisanet foi o primeiro a ser viabilizado.

 O grande diferencial da operação com a Brisanet foi a estruturação de um contrato de R$ 20 milhões com as garantias baseadas em recebíveis.

A Brisanet capacitou mão de obra e ampliou seus quadros de 597 para 1.876 funcionários. No total, a empresa investiu cerca de R$ 30 milhões no projeto, que contemplou a expansão da infraestrutura de telecomunicações, com a instalação de fibra ótica nas 14 cidades atendidas. O número de clientes de serviços de internet prestados pelo provedor saltou de 50 mil assinantes em 2015 para 90 mil hoje.

Hoje, a Brisanet entrega no Sertão nordestino um serviço de internet de banda larga de qualidade, com capacidade de até 1 gigabyte.

Pequenos provedores 

No Brasil, os pequenos provedores representam cerca de 19% do mercado de banda larga. Em outros países, este índice fica em torno de 5%.

O BNDES acompanha o desenvolvimento dos pequenos provedores há alguns anos. De 2013 a 2016, o Banco patrocinou sucessivas edições do encontro Provedores Regionais, evento itinerante que tem como objetivo discutir a universalização da banda larga no País e contribuir para a articulação dos diversos atores envolvidos. (assessoria de imprensa).

Anterior Telebras diz que não foi "citada ou intimada" em ação sobre acordo com Viasat
Próximos MCTIC admite veto ao PLC 79 se for alterado pelo Senado Federal

7 Comments

  1. Leônidas Mackenzie
    28 de Março de 2018

    Resumindo: agora que a Brisanet tem tamanho de operadora, ela tem atenção do BNDES. Provedores pequenos continuam sem nada. BNDES só quer deixar sair grandes montantes, de milhões de reais, por isso só atende quem pode dar garantias de milhões também.

    Deveriam ter linhas de crédito para valores menores, como R$100.000,00…

  2. Rogerio Paulo De Jesus
    28 de Março de 2018

    Só empresta para os grandes e os pequenos nada deveriam abrir também carta de crédito para os pequenos provedores

  3. Wilson
    29 de Março de 2018

    Só pára os grandes que por sinal ainda não paga.

  4. Luiz
    29 de Março de 2018

    Acho que para esse país crescer, o governo tem que parar de financiar formas particulares. Onde está o pessoal de gerenciamento destas firmas que sempre estão pegando o dinheiro do governo? Tem que deixar este pessoal apreender a lutar sem mexer no dinheiro do povo.

  5. LEOMAR
    30 de Março de 2018

    Esse dinheiro é para ser para provedor pequeno, não empresa que já são rica. por isso gera uma concorrência desleal. Enquanto O Governo Federal libera nosso dinheiro para investi em empresa já rica, os provedores pequeno tem a maior burocracia para consegui um empréstimo.

    Voncorrência desleal, para pequenos provedor.

  6. Wanderson
    4 de Abril de 2018

    Não consigo pegar 1 real sem dar minha alma como garantia !

  7. 8 de Maio de 2018

    Espramos que, os investimentos públicos traduzem em um melhor preço e qualidade para os consumidores.