BNDES bate recorde de desembolso


Os dados acumulados em 12 meses encerrados em junho deste ano mostram números recordes para os desembolsos e aprovações de projetos no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da ordem de R$ 96,6 bilhões e R$ 147,1 bilhões, respectivamente. O crescimento registrado foi de 23% nos desembolsos e 37,2% nas aprovações. Os números …

Os dados acumulados em 12 meses encerrados em junho deste ano mostram números recordes para os desembolsos e aprovações de projetos no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da ordem de R$ 96,6 bilhões e R$ 147,1 bilhões, respectivamente. O crescimento registrado foi de 23% nos desembolsos e 37,2% nas aprovações. Os números foram divulgados hoje (9), no Rio, pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

As liberações para a indústria somaram R$ 17,3 bilhões no primeiro semestre deste ano, com alta de 8%. Para infraestrutura, o aumento observado foi de 9% no período, totalizando desembolsos de R$ 16,4 bilhões.Em 12 meses, a indústria recebeu recursos do BNDES no valor de R$ 40,3 bilhões e a área de infra-estrutura R$ 36,4 bilhões. O crescimento em relação a igual período anterior foi de 29% e 12%, respectivamente.

Com base no desempenho apresentado pelo BNDES, Coutinho afirmou que a percepção é que a confiança empresarial já se instalou no país. "E isso se reflete no aumento das consultas e das aprovações de projetos no BNDES, indicando que o pior já ficou para trás, pelo menos no ângulo do BNDES. Mas, temos ainda que consolidar essa expectativa de recuperação da economia".

Ele estima que haverá no segundo semestre um aquecimento significativo no desempenho do BNDES, "refletindo uma recuperação de decisões de investimento, de compra de máquinas e equipamentos". As recentes medidas anunciadas pelo governo de redução do custo de financiamento para o investimento, em particular, terão efeitos favoráveis para a recuperação econômica, frisou. (Fonte: agência Brasil)

Anterior Apoio ao uso do Fistel para TVs públicas é destaque na audiência da EBC
Próximos TV paga: Idec também pede esclarecimentos sobre ‘aluguel’ de ponto extra.