BNDES amplia prazo de financiamento para empresas de telecomunicações


O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) está ampliando o prazo de financiamento para as empresas de telecomunicações, de sete para dez anos, em média, afirmou hoje, durante o 11º Encontro Tele.Síntese, Alan Fischler, chefe do departamento de Telecomunicações do BNDES. “O objetivo é aumentar a atratividade dos financiamentos do banco, pois fizemos …

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) está ampliando o prazo de financiamento para as empresas de telecomunicações, de sete para dez anos, em média, afirmou hoje, durante o 11º Encontro Tele.Síntese, Alan Fischler, chefe do departamento de Telecomunicações do BNDES. “O objetivo é aumentar a atratividade dos financiamentos do banco, pois fizemos estudos e verificamos que as grandes empresas estavam conseguindo no exterior taxas muito próximas às oferecidas pelo BNDES”, explicou o executivo.

Com a medida a expectativa é de aumento do número de projetos apresentados. “Vínhamos praticando, para empresas de telecomunicações, financiamentos de 7 anos, em média, sendo dois anos de carência e cinco de amortização. Agora acrescentamos três anos para amortização, totalizando dez anos, em média”, detalhou Fischler.

Ele ressaltou também a política de incentivo à produção nacional praticada pelo banco: “Em todos os investimentos genéricos em equipamentos e serviços, o financiamento é de 60%, mas sobe para 100% para tecnologias desenvolvidas no país”. Nos financiamentos do banco, o cálculo dos juros engloba TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo, atualmente em 6,25%), acrescida do spread de risco, e mais 3%, sendo que este último valor cai para 1% para aquisição de equipamentos com tecnologia nacional.

Para financiamentos em todos os setores, o BNDES também está modificando a forma de cálculo do spread de risco, que atualmente varia entre 0,8% e 1,8%. O procedimento é feito periodicamente pelo banco, mas deve colaborar para um aumento da atratividade dos financiamentos oferecidos.

Anterior Preço mínimo da 3G representará 25% dos gastos em infra-estrutura
Próximos Banda larga móvel já compete com fixa em mercados maduros