BNDES acha que dá tempo para anuência prévia antes da multa


O superintendente de telecomunicações do BNDES, Alan Fischler, disse hoje, em Brasília, que acredita ainda dar tempo para a Anatel analisar o processo de fusão da Oi com a Brasil Telecom até do dia 21 de dezembro (na verdade, a data final é dia 19 de dezembro, já que o dia 21 cai num domingo) …

O superintendente de telecomunicações do BNDES, Alan Fischler, disse hoje, em Brasília, que acredita ainda dar tempo para a Anatel analisar o processo de fusão da Oi com a Brasil Telecom até do dia 21 de dezembro (na verdade, a data final é dia 19 de dezembro, já que o dia 21 cai num domingo) sem que a empresa precise pagar a multa de R$ 490 milhões prevista no contrato.

"É óbvio que a Anatel não pode trabalhar sob a perspectiva das empresas, mas há tempo para que tudo seja resolvido a contento", disse Fischler. Ele também disse que acha justo a agência exigir contrapartidas para aprovação da fusão, mas ressaltou que não poderá estabelecer exigências que não poderão ser cumpridas.

O banco financiou a equalização societária da operação da compra da Brasil Telecom pela Oi.

Fischler disse que o BNDES tem financiado proporcionalmente os investimentos das operadoras, que representa até 5% do caixa do banco, algo em torno de R$ 4 bilhões por ano. "Pela demanda registrada até agora, os investimentos do setor não devem ter reduções drásticas", disse.

Anterior Lei do SAC: punições devem recair sobre terceirizada e contratante.
Próximos Momento é oportuno para rediscutir processos, avalia presidente da SPCOM.