Bloqueio de anúncios pode derrubar receitas com publicidade em 10%


Pesquisa realizada pela empresa Juniper Research sugere que as ferramentas de bloqueio de publicidade digital em celulares e sites vão impactar a receita dos produtores de conteúdo que dependem dos anúncios. A estimativa é que, até 2020, 10% da receita seja “perdida” em função do uso desses serviços. Isso equivalerá a US$ 27 bilhões a menos circulando entre os produtores.

A Juniper ressalta que será cada vez mais complicado e custos para os serviços de conteúdo fugirem do bloqueio de propagandas, uma vez que estas ferramentes estão evoluindo rapidamente. Nos próximos cinco anos, conseguirão mais do que impedir a visualização em sites, no navegador. Vão atuar dentro de diferentes aplicativos.

As operadoras, inclusive, terão variantes que operam na rede. Exemplos são a europeia Three e a caribenha Digicel, que já recorrem ao sistema. No caso da Digicel, a iniciativa tem a intenção de forçar as OTTs a contribuir com o financiamento de infraestrutura de rede.

Além de pressionar as gigantes digitais a investir em redes, as teles também atendem a uma demanda do consumidor e buscam reduzir o tráfego de dados. “A adoção do bloqueio de publicidade atende a preocupações do consumidor quanto ao uso de dados e privacidade. A medida também acelera o carregamento das páginas de internet”, ressalta o autor da pesquisa, Sam Barker, da Juniper Research.

Mas, ao contrário do que pretendem as operadoras, não são as grandes empresas digitais que serão mais prejudicadas pelos bloqueios de publicidade digital – seja por software na tela do usuário, seja na rede. A pesquisa indica que os pequenos sites ainda precisam encontrar maneiras de evitar que seu patrocínio seja visto. Os grandes caminham mais rapidamente. Forbes e Wired.com criaram sistema que impedem a visualização de qualquer conteúdo caso os anúncios não possam ser exibidos em um dispositivo.

No Brasil, o Marco Civil impede o bloqueio de conteúdo na rede das operadoras. Mas não há empecilhos para que os usuários usem aplicativos ou ferramentas em seus dispositivos para impedir a exibição de publicidade. (Com assessoria de imprensa)

Anterior WhatsApp ganha versão para desktop
Próximos Acessos em 4G ultrapassam 32 milhões