BlackBerry volta à rentabilidade no trimestre, mas perde assinantes


A Blackberry (antiga RIM) apresentou nesta quinta-feira (28) os resultados do ano fiscal e trimestre encerrado em 2 de março. A receita ficou em US$ 2,7 bilhões, redução de 36% na comparação com o mesmo período do ano anterior e de 2% em relação ao trimestre diretamente anterior. No período a companhia vendeu 6 milhões de smartphones – sendo 1 milhão de BB10 – e 370 mil tablets Blackberry Playbook.

Mas o destaque ficou para o retorno da companhoa à lucratividade. O lucro líquido no trimestre foi de US$ 98 milhões, ou US$ 0,19 por ação, ante um prejuízo de US$ 125 milhões, ou US$ 0,24 por ação, registrado no ano anterior. “Implementamos diversas mudanças na BlackBerry no último ano que resultaram no retorno da companhia à lucratividade no período”, afirmou o CEO e presidente, Thorsten Heins. O resultado positivo surpreendeu o mercado financeiro.

Outro sinal positivo para o negócio seria o volume de vendas do smartphone Z10. De acordo com a análise da Ovum, a venda de 1 milhão de aparelhos BlackBerry 10 é um bom começo para a nova plataforma, considerada como fundamental para a definição do futuro da companhia em um mercado dominado por Samsung e Apple, mas com diversas companhias buscando uma posição. Uma visão mais clara da aceitação do produto pelo mercado, no entanto, só ficará clara no próximo trimestre, quando será possível fazer uma avaliação da companhia para o longo prazo, segundo Jan Dawson, analista chefe de telecom da Ovum.

Entre os sinais de problemas apresentados no trimestre, o destaque ficou para a perda de 3 milhões de assinantes. “O maior ativo da BlackBerry é sua base de assinantes, compradores em potencial dos dispositivos BB10. A aceleração do declínio desta base pode significar a redução do potencial de venda dos aparelhos. Também é um indicador de que o crescimento da Blackberry em mercados emergentes não é mais suficiente para encobrir o rápido declínio nos mercados maduros”, escreveu Dawson.

Ainda, lembra o analista, como a participação das receitas com serviços em relação ao total cresceu nos últimos três anos (de 15% para 36% nos últimos três anos), a perda de assinantes pode significar no futuro maior pressão nas margens de lucro.

“Em geral, há alguma esperança nesses números, mas também razões para preocupação. A BlackBerry conseguir que o Z10 esteja disponível em número suficiente, lançar o Q10, fazer com que as operadoras divulguem os dispositivos”, concluiu.

Mudanças na direção
A empresa também anunciou que Mike Lazaridis, tendo cumprido o compromisso que ele fez para o conselho
em janeiro de 2012, decidiu se aposentar como vice-presidente e diretor da companhia. Lazaridis é um dos co-fundadores da BlackBerry há quase 30 anos e atuou como co-CEO da empresa até o ano passado, quando ele foi eleito Vice-Presidente do Conselho de Administração. Lazaridis, que na semana passada anunciou o lançamento de seu novo empreendimento, a Quantum Valley Investments, deixará o conselho da companhia em 1 de maio de 2013. A saída de Lazardis ocorre alguns meses após a saída de Jim Balsillie, seu parceiro na criação da fabricante de smartphones, que vendeu suas ações da companhia há cerca de um mês. (Da redação)

Anterior Justiça mantém obrigação das TVs pagas de apresentarem contratos de programação à Ancine
Próximos Telefônica Vivo reforça estratégia para ganhar shoppings