Odebrecht quer ser parceira da Telebras no satélite e cabo submarino


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, conversou nesta segunda-feira (21) com os presidentes da Embraer Defesa, Luiz Aguiar, e da Odebrecht Defesa, Roberto Simões, sobre o projeto do satélite geoestacionário brasileiro. A expectativa é de que o projeto da joint-venture entre a Embraer e a Telebras, para integração do satélite, esteja pronto até o início de dezembro.

 
Segundo o presidente da Telebras, Caio Bonilha, que também participou da reunião, a parceria com a empresa de aeronaves vale somente para a integração do satélite. Ele ressaltou que outros sócios poderão participar do empreendimento, mas apenas empresas de engenharia, o que eliminaria a possibilidade de entrada da Oi no projeto.

 

Bonilha disse, porém, que a operação do satélite ficará a cargo da Telebras. Assim como a operação dos cabos submarinos entre o Brasil e Estados Unidos e Europa, que também devem estar concluídos até 2014, antes da realização da Copa do Mundo de Futebol.

Para a construção dos cabos, a estatal está em tratativas com a Odebrecht Defesa, que deve apresentar um plano de negócios para permitir a entrada de outros parceiros. “As conversas, entretanto, estão embrionárias”, disse Simões.

 

O interesse da Odebrecht é também de participar do projeto do satélite. Segundo Simões, a empresa adquiriu o controle acionário da Mectron, que já é fornecedora de componentes de satélites no Brasil. “Nossa intenção é de fornecer esses componentes para o governo brasileiro”, disse.

Anterior Celulares alertam que falta de antenas pode prejudicar a 4G
Próximos Oi une banda larga fixa, móvel e WiFi em promoção de Natal