Bernardo promete “multas pesadas” a teles que prestam serviços deficientes


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, reconheceu que há problemas nos serviços prestados por operadoras móveis e que está preparando medidas para solucionar definitivamente essas deficiências. “Algumas operadoras vendem mais serviços do que comportam suas redes e investem pouco na melhoria da infraestrutura”, disse Bernardo, durante participação nesta quinta-feira (26), no programa “Bom Dia, Ministro”, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), transmitido para todo o país.

O ministro disse que o governo prepara um plano para isentar investimentos em redes e a Anatel deve aprovar, ainda este ano, o Plano Geral de Metas de Competição (PGMC), que obriga, entre outras coisas, o compartilhamento de infraestrutura entre as operadoras. Enquanto isso, aconselha aos consumidores que tenham problemas com a rede de celular a denunciar as operadoras à Anatel, órgão responsável pela fiscalização e punição às teles.

“As empresas têm obrigação de prestar o serviço com qualidade, não podem descuidar. Multas pesadas poderão ser aplicadas nesses casos”, disse.

Banda larga

Paulo Bernardo disse que, desde a adesão das operadoras privadas ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) no ano passado, o número de usuários de internet móvel no país quase dobrou no ano passado. “Dentre os novos assinantes de planos de acesso à rede, 99,8% usam conexões móveis. Já o aumento na quantidade de pessoas que acessam a internet por meio de conexão por telefonia fixa alcançou 22%”, afirmou.

“A tendência, este ano, é aumentar ainda mais. As pessoas preferem ter um celular conectado à internet, para acessar de qualquer lugar”, disse o ministro. Paulo Bernardo, disse que, para isso, o governo estuda mecanismos para baratear planos de serviços e smartphones.

Anterior Controle prévio da importação de celulares é adiado para fevereiro
Próximos MiniCom quer ampliar formas de sustentação das rádios comunitárias