Bernardo nega saída de Bonilha da Telebras


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, negou, nesta quarta-feira (16), a troca de comando da Telebras. Segundo ele, “não procedem” os rumores de substituição do atual titular, Caio Bonilha, pelo secretário de Telecomunicações do MiniCom, Maximiliano Martinhão, na presidência da estatal.

Na sexta-feira, notícias publicadas em sites informavam que a saída de Bonilha era iminente, em função de seu veto à participação da Oi no projeto do satélite geoestacionário brasileiro. Especulava-se também sobre o desconforto da Embratel quanto ao backbone de cabos ópticos que está sendo negociado pelo governo brasileiro com demais governos latinos, que será operado pela Telebras.

 

Quanto ao satélite, apesar da pressão e interesse da Oi em participar do projeto em parceria com a Telebras, o governo já descartou a participação da operadora com base no próprio parecer da Anatel, que acabou reconhecendo que a parceria da Oi no projeto do satélite nacional não seria possível por objetivos diferentes entre o governo e a operadora. Com base nesta avaliação, a Anatel acabou confirmando que, neste quesito,  a empresa tinha cumprido com uma das cláusulas dos compromissos assumidos por ela com a União, quando da fusão com a Brasil Telecom, mesmo que a parceria não tenha se concretizado.

 

Há quem especule que estas notícias sobre a queda de Bonilha sejam movimentos de bancos privados que estão procurando fortemente as ações em poder do público para aumentar suas participações no capital da estatal.

Anterior Telebras antecipa em um ano rede do PNBL no Sul
Próximos Receita da Gilat cresce 45% no 3º tri