Bernardo diz que teles móveis são “muito malas” por divulgarem preços mais altos do que praticam


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, chamou de “muito malas” as operadoras de telefonia móvel, por publicar em seus sites os preços do minuto cobrados bem mais altos do que os praticados. Segundo ele, por essa razão a tarifa de celular acaba como a mais cada do mundo na pesquisa realizada pela UIT (União Internacional de Telecomunicações) porque são esses os preços usados para o cálculo.

O ministro, que falou nesta quarta-feira (30) sobre o serviço móvel na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara, disse que essa decisão das empresas é resultado da força que os departamentos jurídicos delas têm, inclusive maior que a área de engenharia ou de marketing. “Os advogados dizem que se botar o preço promocional, a empresa será obrigada a entregar o minuto pelo mesmo valor para todos, o que é um absurdo”, disse.

Paulo Bernardo disse que o preço médio do minuto tem caído sistematicamente. “Em 2005, esse valor era de R$ 0,41, caiu para R$ 0,23 em 2010 e no final do ano passado já estava em R$ 015”, disse. O ministro também destacou a redução das tarifas de interconexão (VU-M), que vem sendo estipulada pela Anatel. Em 2015, essa queda deve chegar a 61%, com o minuto a R$ 0,26, ante R$ 0,54 cobrados em 2012. Mas reconheceu que os preços ainda podem baixar.

Pesquisa

O presidente da Anatel, João Rezende, que também falou durante a audiência pública na comissão, disse que a agência divulgará, nos próximos dias, uma pesquisa sobre o desempenho de cada operadora. O resultado servirá como instrumento para que o consumidor decida qual optar na hora da contratação de um plano.

Anterior Venda de aparelho de celular aumentou 9% no primeiro tri em todo mundo
Próximos Governo quer atrair quinto investidor para leilão de 700 MHz e vai fazer road show