Telefonia móvel perdeu 4,2 milhões de acessos em novembro


Base encolheu 3,87% em relação a novembro de 2014. Pré-pago fechou o mês com 196,6 milhões de acessos, queda de 7,9% em 12 meses. No pós, houve crescimento de 0,9% em um ano, para 72,9 milhões. 3G perdeu 3 milhões de conexões, e 4G ganhou mais 2 milhões.

celulares aplicações mercado aparelhos base
Operadoras concentram ofertas em dados, reduzindo demanda por uso de múltiplos chips

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou hoje, 12, a base de acessos moveis existente no país em novembro de 2015. Os números mostram continuidade da tendência de redução do número de acessos, que vem acontecendo desde maio. Em novembro, as operadoras desligaram 4.204.886 acessos móveis.

Todo o encolhimento aconteceu na categoria pré-pago, e foi motivado pela limpeza de base das operadoras. Este tipo de serviço teve 4.731.480 desligamentos. Já a quantidade de pós-pagos aumentou em 526.594 . Com o resultado, o país encerrou novembro de 2015 com o total de 269.591.635 acessos móveis. São 14,5 milhões de acessos a menos que o pico registrado no ano, em maio, de 284,12 milhões de acessos.

Em relação a um ano antes, houve um encolhimento da base de 3,87%. No pré-pago, que fechou o mês com 196,6 milhões de acessos, a queda em 12 meses foi de 7,9%. Enquanto no pós, houve crescimento de 0,9% em um ano, para 72,9 milhões.

Competição
A operadora que mais desligou linhas no mês foi a TIM. A empresa desabilitou 2,6 milhões de acessos, passando a ter 69,29 milhões de clientes. Em seguida vem a Claro, com 1,67 milhão de desligamentos, restando com 67,37 milhões de conexões. A Oi também reduziu a base, desligando 17,3 mil acessos, terminando o mês de novembro de 2014 com 49,2 milhões de usuários. As demais (Algar, Vodafone Datora, Nextel, Porto Seguro, Sercomtel e Telefônica Vivo) ganharam usuários. A Vivo foi a que mais ligou acessos. Foram 55.277 ativações.

Conforme ranking de market share montado pela Anatel, a Telefônica Vivo permanece como maior empresa do setor, com 29,49% do mercado de telefonia móvel brasileiro. Em seguida vem TIM, com 25,7%, Claro, com 24,99%, e Oi, com 18,25%.

Tanto Claro quanto TIM e Oi disseram, em diversas oportunidades ao longo do ano, que haveria redução da base pré-paga em 2015. Os desligamentos tem como motivações o interesse em economizar com o pagamento das taxas do Fistel relativas à ativação de chips e mudanças no comportamento do consumidor, que estaria concentrando o uso em dados, esgotando estratégias de “comunidade”, em que faz sentido ter dois ou mais chips para falar com números de outras operadoras.

Tecnologias
Os dados da Anatel mostram crescimento das conexões unicamente de dados usando banda larga móvel (os modems móveis), que passaram a somar 6 milhões de acessos em novembro, ante 5,68 milhões um mês antes. O GSM manteve a curva descendente, com perda de 3,74 milhões de acessos – a tecnologia 2G ainda conecta, porém, 73,26 milhões de brasileiros.

O LTE continuou a crescer, ganhando 2,1 milhões de acessos, somando 22,58 milhões. O 3G (WCDMA) perdeu 3 milhões de conexões, mas continua a ser a principal tecnologia do país, com 156,4 milhões de usuários. A quantidade de acessos M2M (ou pela Anatel, M2M Especial) também caiu, de 2,6 milhões em setembro, para 2,5 milhões em outubro, último número apurado.

Anterior Dataprev, Serpro e Telebras debatem parcerias e não fusão
Próximos Telcomp propõe incentivo à demanda como política pública