Base móvel da BrT cresce, mas Arpu tem redução de 17,5%.


Apesar do crescimento do número de usuários da telefonia móvel (aumento de 30% na base na relação ano a ano), a Brasil Telecom registrou queda no Arpu do serviço móvel no terceiro trimestre de 2008. A receita média por assinante foi de R$ 28,8, uma redução de 17,5% em relação ao 3T07, devido  ao significativo …

Apesar do crescimento do número de usuários da telefonia móvel (aumento de 30% na base na relação ano a ano), a Brasil Telecom registrou queda no Arpu do serviço móvel no terceiro trimestre de 2008. A receita média por assinante foi de R$ 28,8, uma redução de 17,5% em relação ao 3T07, devido  ao significativo aumento de acessos pré-pagos na base de cliente e do aumento do bloqueio de tráfego das outras operadoras. “Tivemos uma variação muito significativa no volume de tráfego entrante, apesar do crescimento da base”, explicou Paulo Narcélio, VP de finanças e Relações com Investidores da Brasil Telecom, em conferência com analistas de mercado realizada hoje para comentar os resultados da BrT, divulgados ontem. A empresa não divulgou o volume de queda no tráfego, mas Narcélio informou que foi da ordem de 100 para 90, ou seja 10%, e que a pedido da BrT, a Anatel abriu um Pado (Procedimento de Apuração por Descumprimento de Obrigações) para apurar o que aconteceu em relação ao bloqueio de tráfego e se houve prática anticoncorrencial.

Narcélio informou ainda que o Arpu do móvel deve continuar decrescente, devido a estratégia da companhia de focar no cliente pré-pago, em razão da competição muito forte no pós-pago. Destacou, no entanto, que vendendo mais celulares pré-pagos, a empresa conseguirá baixar o custo de aquisição do cliente, que foi de R$ 73,1 no trimestre (redução de 14% na comparação ano a ano) e aumentar a rentabilidade.

A BrT fechou o trimestre com 5,2 milhões de acessos móveis (4,351 no pré-pago e 894 mil no pós-pago) e receita líquida de serviços móveis de R$ 442,5 milhões, crescimento de 7,9% acima do valor registrado no mesmo período de 2007. O Ebitda da parte móvel registrou um crescimento de 108,7%, em comparação ao mesmo período do ano passado, ficando em R$ 70,9 milhões no 3T08.

Anterior Consumidores e ex-ministro condenam mudanças no PGO
Próximos Procuradoria da Anatel espera cassar liminar até as 17hs