Banda larga: soluções para a baixa renda.


Enquanto o governo costura a modelagem do Plano Nacional de Banda Larga, as concessionárias locais buscam caminhos para ampliar sua base de assinantes de banda larga para a faixa inferior da classe C e para a classe D. A Telefônica está trabalhando em duas direções: testando novas tecnologias, que vão permitir baratear o custo do …

Enquanto o governo costura a modelagem do Plano Nacional de Banda Larga, as concessionárias locais buscam caminhos para ampliar sua base de assinantes de banda larga para a faixa inferior da classe C e para a classe D. A Telefônica está trabalhando em duas direções: testando novas tecnologias, que vão permitir baratear o custo do acesso (caminho também explorado por outras operadoras), e empacotando produtos para atender a determinado perfil de consumo.

Marcio Fabris, diretor da Telefônica, diz que, em termos de infra-estrutura, só é possível reduzir custo com solução compartilhada. “O custo mínimo da linha ADSL é de R$ 800,00”, conta. Para contornar essa barreira, a Telefônica, diz ele, está fazendo um teste piloto em Vila Gustavo, na cidade de São Paulo, com uma rede WiMesh com retransmissores WiFi e usuários com placa WiFi no computador. “Para usar a internet, o usuário compra um cartão pré-pago”, explica Fabris. Como a infra-estrutura wireless é compartilhada, o custo cai.

A Brasil Telecom, por sua vez, decidiu fazer da banda larga um presente de Natal para a família. Está oferecendo internet (conexão de 250 kbps) a R$ 9,90 por dois meses. Luiz Antonio Costa e Silva, diretor de produtos e serviços da operadora, espera que 70% das vendas de acesso à internet neste Natal sejam desse novo produto e assegura que o nível de retenção do cliente dessa faixa de renda é o mesmo do de outras promoções.

A partir dessa promoção, a Brasil Telecom, segundo Costa e Silva, vai calibrar um produto de acesso banda larga que ficará próximo à faixa dos R$ 30,00. “Vamos sentir melhor o mercado com essa promoção, para ver que tipo de comprometimento de renda esse cliente pode ter”, explica.

Anterior Sardenberg: Anatel retoma licitação do WiMAX em 2008.
Próximos Anatel outorga freqüência do SMP antes do leilão da 3G