Banda larga popular da Telefônica será via cabo e WiMesh


A Telefônica assina amanhã, no Campus Party, o termo de adesão ao programa de banda popular do Governo do Estado de São Paulo. O serviço de banda larga popular será oferecido somente para pessoas que não são assinantes da Telefônica. Será prestado por meio da rede de cabo do Ajato, que cobre 400 mil domicílios …

A Telefônica assina amanhã, no Campus Party, o termo de adesão ao programa de banda popular do Governo do Estado de São Paulo. O serviço de banda larga popular será oferecido somente para pessoas que não são assinantes da Telefônica. Será prestado por meio da rede de cabo do Ajato, que cobre 400 mil domicílios na capital, e de uma rede wireless na tecnologia WiMesh, que atenderá tanto a capital quanto o interior. Já os assinantes do serviço de telefonia fixa da Telefônica poderão contratar o serviço de banda larga de 256 kbps da operadora, também a R$ 29,80 por mês.

Embora tenha trabalhado muito junto ao governo de são Paulo para o lançamento do programa de banda larga popular, a Telefônica levou mais de três meses para assinar o termo de adesão, porque o Procon não aceitou que a operadora só vendesse o novo serviço para quem já era assinante da Telefônica. Sem isso, a operadora teve que desenvolver novas soluções de acesso, já que segundo a empresa, por enquanto, não é viável, do ponto de vista econômico, usar a infraestrutura Speedy sem o pagamento da assinatura básica.

Para os não assinantes da Telefônica, e mesmo para assinantes que queiram migrar, ela vai usar as redes de cabo e wireless, que são redes limitadas e sem capilaridade. O Ajato só está presente na Capital, cobrindo bairros de classes A e B.

As demandas da periferia e do interior serão atendidas pela rede WiMesh, mas os números são modestos. A estimativa é atender 100 mil assinantes até o final de 2010, nas duas tecnologias. O grande potencial da banda larga popular da Telefônica está mesmo no 1,3 milhão de assinantes do seu serviço de telefonia fixa que não têm acesso em banda larga e ainda usam a internet por meio de acesso discado. Mas, por enquanto, não pode ofertar produto só para esse público.

A primeira operadora a aderir ao banda larga popular de São Paulo, em dezembro de 2009, foi a Net.

Anterior Resultado da Nokia no 4° trimestre surpreende e ações disparam
Próximos Empresários debatem edital do operador único de rede da TV pública