Banda larga móvel já compete com fixa em mercados maduros


Em poucos anos, as tecnologias móveis competirão seriamente com as redes fixas no provimento de serviços de banda larga. A tecnologia de terceira geração tornará mais barata a transmissão de voz, tanto em termos de investimentos em infraestrutura quanto em operação de rede, afirmou hoje, 21 de agosto, Rogério Loripe, vice-presidente de redes da Ericsson, …

Em poucos anos, as tecnologias móveis competirão seriamente com as redes fixas no provimento de serviços de banda larga. A tecnologia de terceira geração tornará mais barata a transmissão de voz, tanto em termos de investimentos em infraestrutura quanto em operação de rede, afirmou hoje, 21 de agosto, Rogério Loripe, vice-presidente de redes da Ericsson, durante o 11 Encontro Tele.Síntese. “Nos mercados maduros, a banda larga móvel em HSPA (nova geração tecnológica da 3G) já consegue competir com a banda larga sobre rede fixa” afirmou, citando o preço do Gigabit, que na operadora norte-americana Cingular custa US$ 10 cm HSPA, contra US$ 8 de xDSL, e na Alemanha e na Malásia, essa relação se inverte. “O grande dilema é o preço dos terminais de 3G, que ainda são caros, com um preço médio de US$ 100 contra US$ 45 para os celulares GSM”, avaliou.

Para Wagner Ferreira, vice-presidente da Alcatel-Lucent, a maior vantagem da banda larga móvel é permitir uma grande segmentação de públicos, e uma significativa melhora na ARPU (receita média por usuário) das empresas de telecomunicações. “O grande problema é que, no Brasil, mesmo a penetração da banda larga fixa nas classes C e D ainda é muito pequena, abaixo de 10%”, ressaltou o executivo. O consultor Gilson Rondinelli lembra que ainda há espaço também para o crescimento da telefonia celular, que “ainda não atingiu nem 50% de penetração no mundo”. E concordou com Loripe, avaliando que “há demanda por 3G reprimida, devido ao preço dos terminais”. Segundo o consultor, há hoje 200 milhões de usuários com terminais 3G, com 246 redes operando comercialmente esta tecnologia, no mundo.

Anterior BNDES amplia prazo de financiamento para empresas de telecomunicações
Próximos Operadoras móveis estão preocupadas com os custos da 3G