Banda larga fixa é único serviço a ter aumento de reclamações na Anatel, em outubro


shutterstock_Mikhail-hoboton-Popov_Consumidor_Abstratada_Geral_sufoco-720x320

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) revelou nesta quarta-feira, 22, que aumentou o número de reclamações feitas por usuários de serviços de banda larga fixa. Segundo a agência, foram registradas 44,2 mil queixas sobre este tipo de serviço em outubro, um aumento de 4,8% em relação a outubro de 2016.

A variação destoa do restante dos serviços fiscalizados pela autarquia. Para TV paga, telefonia fixa e móvel, o número de reclamações caiu. A telefonia móvel apresentou redução de 16,8 mil reclamações (-11,3%). A telefonia fixa, menos 2,4 mil queixas (-3,6%). E a TV por Assinatura, 200 reclamações a menos (-0,7%).

Ao todo, a Anatel recebeu menos reclamações do que no mesmo mês de 2016. Em outubro deste ano, foram recebidas 277,6 mil reclamações de usuários contra prestadoras dos serviços de banda larga fixa, de telefonia móvel, de telefonia fixa e de TV por Assinatura na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Ao todo, houve redução de 16,9 mil queixas (-5,7%) em relação a um ano antes.

Empresas

Na telefonia móvel e na telefonia fixa todos os grupos acompanhados individualmente pela Anatel apresentaram redução nas reclamações em outubro deste ano quando comparado com outubro de 2016. Na telefonia móvel, a Vivo apresentou queda de 9,6 mil queixas (-24,7%), a Claro redução de 2,4 mil (-8,4%), a TIM, menos 2 mil (-3,9%), e a Oi diminuição de 900 reclamações (0,9%).

Na telefonia fixa a Vivo também apresentou destaque na redução do volume de queixas com 1,6 mil reclamações (-8,1%), seguida da Oi com menos 800 queixas (-2,1%) e da NET com menos 400 reclamações (-4,1%).

Na TV por Assinatura, apenas a Oi com menos 700 reclamações (-15,4%) apresentou redução em outubro quando comparado com o mesmo mês do ano passado. Houve aumento de 300 queixas relativa ao Grupo NET/Claro (+ 1,8%), puxado pela NET com mais 1,9 mil reclamações (16,6%), enquanto a Claro teve 1,6 mil reclamações a menos (-27,3%). A Vivo teve aumento de 200 reclamações (9,0%) e a Sky teve aumento de 100 reclamações (0,2%). Já o aumento de reclamações na banda larga fixa foi puxado pela prestadora NET com 1,6 mil queixas (+15,5%), a Vivo registrou menos 700 reclamações (-5,3%) e a Oi menos 500 reclamações (-2,7%).

Reclamações por serviço

Em outubro de 2017, na telefonia móvel pós-paga o maior conjunto de queixas foi relativo à cobrança (49,2%); seguido por ofertas e promoções (9,6%); e qualidade, funcionamento e reparo (9,2%). Cobrança também foi o maior motivo de reclamações na telefonia fixa (41,1%); seguido de qualidade, funcionamento e reparo (20,76%); e cancelamento (7,8%). Na telefonia móvel pré-paga foram reclamações sobre créditos (47,4%); ofertas e promoções (15,7%); e qualidade, funcionamento e reparo (12,2%).

Na TV por Assinatura cobrança foi mais da metade das reclamações registradas no mês de outubro (50,5%), seguida de qualidade funcionamento e reparo (9,7%) e ofertas e promoções (9,35%). Já qualidade, funcionamento e reparo formaram o maior conjunto de reclamações recebidas pela Agência Nacional de Telecomunicações contra empresas de banda larga no mês passado (45,0%), seguido de cobrança (23,6%) e instalação, ativação ou habilitação (9,44%).

Anterior Congresso mantém orçamento da Anatel em R$ 177 milhões
Próximos Novo PSA da Oi tira o fee antecipado, mas impõe condições para investimento