shutterstock_ nasirkhan_Internet_banda_larga_dados_seguranca_cidade_digitalA Telefônica Vivo passou a prever a criação de franquia de dados para sua internet fixa por par de cobre (ADSL) neste mês. Os novos clientes que contrataram o serviço a partir de 5 de fevereiro já estão assinando contratos com os limites. Clientes que contrataram o Vivo Internet Fixa antes dessa data manterão as condições contratuais anteriores, sem franquia.

Os planos de banda larga fixa afetados são de velocidades entre 200 Kbps a 25 Mbps, em todo o estado de São Paulo. A franquia vai de 10 GB (planos de 200 Kbps a 1 Mbps) a 130 GB (para o de 25 Mbps). A operadora não atualizou os contratos dos novos clientes Vivo Fibra, mas estuda a possibilidade. “O tema está sendo avaliado”, informa.

A Telefônica diz que não vai definir cobrança por uso excedente neste ano. Mas que vai realizar campanhas para informar o consumidor sobre mudanças nos limites de uso da banda larga fixa, quando isso ocorrer. A empresa foi a primeira a bloquear o acesso à internet dos usuários móveis ao fim da franquia em 2014, movimento que encerrou a oferta de acesso ilimitado à internet no celular, mas a aumento das franquias oferecidas. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já via como provável a expansão da estratégia aos acessos fixos desde 2014, em função da queda de receitas com interconexão.

“Promocionalmente, não haverá cobrança pelo excedente do uso de dados até 31 de dezembro de 2016. À medida que isto vier a ocorrer no futuro, a empresa fará um trabalho prévio educativo, por meio de ferramentas adequadas, para que o cliente possa aferir o seu consumo. A franquia de consumo de dados de internet fixa já é praticada hoje por alguns dos principais players de banda larga fixa”, afirma, em nota. Os outros players, no caso, são NET e a Oi.

A NET lembra que seus planos adotam velocidade e franquia por contrato,  e que a franquia do usuário pode ser acompanhada pelo site ao consumidor da companhia. Diz que a medida é uma prática de qualidade. “Tem o objetivo de garantir o correto dimensionamento da rede de banda larga para todos os usuários”, diz. As franquias são determinadas por estatísticas e revistas periodicamente. Poucos clientes, afirma, ultrapassam os limites estabelecidos. “Neste caso, a velocidade de internet é reduzida até o final do mês vigente e reestabelecida automaticamente no primeiro dia do mês seguinte”.

Por sua vez, a Oi confirma trazer a cláusula de redução da velocidade uma vez atingida a franquia nos contratos. “A companhia não pratica o corte da navegação na internet após o fim da franquia de seus clientes de banda larga fixa”, garante.

A TIM afirma que não pretende adotar modelo semelhante em sua internet por fibra, disponível em São Paulo e Rio de Janeiro. “A TIM não comercializa planos com franquia mensal de dados e bloqueio após o consumo em sua oferta de ultra internet fixa (Live TIM). A operadora também não prevê mudanças nos planos atuais”, afirma.