Banda larga em outubro cresceu 66% acima da média de 2011


 

O número de acessos em banda larga no Brasil chegou a 53,9 milhões em outubro, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil). Os dados mostram um crescimento de 68,4% em relação a outubro do ano passado, quando havia no País 32 milhões de acessos. O ritmo de ativação da banda larga já é de mais de um novo acesso por segundo.Somente em outubro, foram ativadas 3,2 milhões de conexões, 66% acima da média mensal de 2011, que é de 1,9 milhão.

 

Desde o início de 2011 – de janeiro a outubro – 19,5 milhões de novos assinantes se somaram à base de clientes, o que representa um crescimento de 64% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 11,9 milhões de novas conexões foram ativadas.

Fixa e móvel

Do total de 53,9 milhões de acessos alcançados em outubro, 16,3 milhões são de conexões em banda larga fixa e 37,6 milhões em banda larga móvel. A banda larga fixa ampliou sua base de clientes em 3 milhões de acessos nos últimos 12 meses, o que representa um crescimento de 22,4% frente a outubro de 2010.

 

Já o número de acessos em banda larga móvel dobrou nos últimos 12 meses, com acréscimo de 18,9 milhões de novos acessos, o que resulta num incremento de 101,1% no período. Do total de conexões móveis, 7,4 milhões são de modems e 30,2 milhões de celulares de terceira geração (3G) que permitem conexão à internet.

Cobertura 3G –

De acordo com o edital da licitação da terceira geração, a banda larga móvel deveria ser disponibilizada em 928 municípios até abril de 2013. Este mês as redes já estão em mais de 1.795 municípios, que concentram 78% da população brasileira. Além disso, 60% dos usuários podem optar entre pelo menos duas prestadoras de banda larga móvel. Neste ano, já foram ativados mais de 500 municípios com tecnologia de 3G, com a instalação da banda larga em mais de um município por dia. (assessoria de imprensa).

Anterior Tendência no mercado de dados é de cobrança por uso. No móvel e no fixo.
Próximos Vivendi quer transferir processo da Telefônica para Curitiba