Provedores regionais mantêm liderança em adição de clientes na banda larga


brasil banda larga acessos conexoes fibra internet web mapa luzA Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou hoje, 26, o balanço de assinantes de serviços de banda larga no país. Os dados indicam que os provedores regionais de internet continuam a ser os responsáveis pelo maior crescimento da base de usuários de internet fixa de alta velocidade no Brasil.

Março terminou com 27,16 milhões de assinantes de banda larga, um crescimento de 5,28% sobre o número do mesmo mês de 2016. Os provedores regionais ganharam 785,6 clientes, ampliando sua base em 32,48% em um ano. Fecharam o mês com 3,2 milhões de acessos.

Entre os grandes provedores, também houve expansão, embora em ritmo mais lento. A Claro (Net), manteve a liderança, com 8,57 milhões de usuários – crescimento de 4,62% de sua base. A Vivo, segunda maior em clientes, fechou o mês com 7,49 milhões de acessos, após crescer 1,33%. Já a Oi terminou o mês passado com 6,41 milhões de clientes, 0,85% a mais que um ano antes.

Desempenho por faixa de velocidade

Rótulos de Linha 2016-03  2017-02 2017-03 Saldo Mensal Variação Mensal (%) Saldo 12 meses Var. A.A. (%)
> 34Mbps 1.598.004,00 2.998.466,00 3.087.095,00 88.629,00 2,96 1.489.091,00 93,18
0kbps a 512kbps 1.077.988,00 923.731,00 907.306,00 -16.425,00 -1,78 -170.682,00 -15,83
12Mbps a 34Mbps 6.087.104,00 6.822.794,00 6.957.216,00 134.422,00 1,97 870.112,00 14,29
2Mbps a 12Mbps 9.840.204,00 9.517.488,00 9.596.466,00 78.978,00 0,83 -243.738,00 -2,48
512kbps a 2Mbps 7.199.427,00 6.617.097,00 6.617.493,00 396,00 0,01 -581.934,00 -8,08
Total Geral 25.802.727,00 26.879.576,00 27.165.576,00 286.000,00 1,06 1.362.849,00 5,28

 

Os dados revelam acelerada evolução na entrega de mais velocidade, com adoção dos novos clientes de planos de ultra banda larga, e nítida migração de clientes antigos para serviços mais rápidos. A quantidade de acessos com velocidade superior a 34 Mbps quase dobrou em um ano. Em março de 2016 representavam 6,2% do mercado, e agora são 11,36%. Já os planos de até 12 Mbps encolheram neste mesmo período, embora ainda representem 63% do mercado, em março de 2016 representavam 70% dos acessos.

Anterior Ministro vai aprovar mudança no cronograma da TV digital
Próximos Chips dão lucro, mas celulares geram perdas para Samsung no 1T17

3 Comments

  1. Márcio Duarte
    27 de Abril de 2017

    Infelizmente o governo não tem competência para entender que são os pequenos provedores que fazem a “revolução digital” nesse país, e não as grandes operadoras, vulgo Oi, pra quem emprestaram bilhões, tomando duplo calote, porque não pagam o empréstimo, nem entregam serviço de qualidade conforme esperado pela sociedade.

    • Ronaldo Naldo Doberto
      27 de Abril de 2017

      Nos EUA, a FCC subsidia provedores regionais na construção de redes. Se é para gastar dinheiro público, que seja dessa forma.

      Fust e Fistel estão sendo desperdiçados com usos inadequados, enquanto o setor de telecomunicações é apenas explorado e abandonado.

  2. 27 de Abril de 2017

    Tentei contratar uma plano de internet sem a merda do telefone fixo na oi, mais eles não tiveram a cara de pau de cobrar 130 reais com uma net de apenas 1mb é isso mesmo senhores 1 mb.
    Talvez isso explica por que essa porra tava quase quebrando, que se foda esses grandes provedores